30 setembro 2017

Datafalha: Lula dispara depois de condenado - Moro, Gebran: o que estão esperando? (PHA*)


LulaCHico.jpg
Da Fel-lha:
Lula lidera cenários para 2018 mesmo após condenação, diz Datafolha
A um ano da eleição de 2018, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) se mantém na liderança da corrida presidencial, com vantagem significativa sobre os principais adversários, segundo nova pesquisa do Datafolha. O petista, condenado em primeira instância pelo juiz Sergio Moro, tem pelo menos 35% das intenções de voto nos cenários testados.
O deputado federal Jair Bolsonaro (PSC) e a ex-senadora Marina Silva (Rede) empatam em segundo lugar. Ele oscila entre 16% e 17% e ela varia entre 13% e 14% nos cenários com o ex-presidente no páreo.
Geraldo Alckmin e João Doria, ambos do PSDB, apresentam desempenho equivalente na disputa com Lula, Bolsonaro e Marina, segundo o levantamento. O governador de São Paulo e o prefeito da capital alcançam 8% das intenções de voto. Doria tem viajado pelo país tentando aumentar seu grau de conhecimento e apostando que com isso poderá subir nas pesquisas, mas isso até agora não se concretizou.
Nos cenários testados para eventual segundo turno, Lula pela primeira vez vence todos os adversários. A exceção é um hipotético confronto com o juiz Sergio Moro (que tem descartado concorrer a presidente), em que há empate técnico. (...)

26 setembro 2017

Carta de Palocci não se destinou ao PT, mas ao MPF; ele quer fechar negócio, trocando mentiras por benefícios


NOTA DO PARTIDO DOS TRABALHADORES
A carta divulgada hoje (26) por Antônio Palocci e seus advogados não se destina verdadeiramente ao PT, mas aos procuradores da Lava Jato. É a mensagem de um condenado que desistiu de se defender e quer fechar negócio com o MPF, oferecendo mentiras em troca de benefícios penais e financeiros.
A carta repete as falsas acusações que ele fez diante do juiz Sergio Moro e que contrariam seus depoimentos anteriores. Em qual Palocci se deve acreditar: no que diz ter mentido antes ou no que mudou de versão agora para se salvar?
O PT trata de forma igual todos os filiados que enfrentam investigações e ações judiciais. Respeitamos o princípio da presunção da inocência. Ninguém será julgado por comissão de ética partidária antes do trânsito final dos processos na Justiça.
Palocci decidiu “queimar seus navios”, romper com sua própria história e renegar as causas que defendeu no passado.
A forma desrespeitosa e caluniosa como se refere ao ex-presidente Lula demonstra sua fraqueza de caráter e o desespero de agradar seus inquisidores.
Política e moralmente, Palocci já está fora do PT.
Gleisi Hoffmann
Presidenta Nacional do PT

Leia também:
*Via http://www.viomundo.com.br

25 setembro 2017

Base de Temer encolhe e seu destino está nas mãos de Rodrigo Maia


RBA- Após a decisão do Supremo Tribunal Federal, que na quinta-feira (21), por 10 a 1, decidiu enviar à Câmara dos Deputados a nova denúncia do agora ex-procurador-geral da República, Rodrigo Janot, contra Michel Temer, a principal questão desse final de 2017 é se o plenário da Câmara vai autorizar a abertura do processo contra o presidente. Temer corre riscos de cair? Sua base se mantém estável, aumentou ou diminuiu?
Há hoje em Brasília duas correntes sobre o destino da segunda denúncia de Janot na Câmara. Segundo o cientista político Ricardo Caldas, professor da Universidade de Brasília (UnB), a corrente majoritária acredita que a votação será mais fácil para Temer do que a anterior. Em 2 de agosto, os deputados rejeitaram a denúncia por 263 votos a 227. Para essa corrente, os questionamentos sobre a credibilidade das deleções envolvendo a JBS tornaram a denúncia mais frágil.
“Pessoalmente, estou na corrente minoritária. Não aposto em questão de provas. A questão é política. A base de Temer está encolhendo e ele está em rota de colisão com Rodrigo Maia”, avalia Caldas. Para ele, o presidente da Câmara é “a pessoa mais importante nesse momento a acompanhar e é a chave do processo”.
Nos bastidores, Rodrigo Maia (DEM-RJ) estaria sendo incentivado por atores políticos importantes e influentes, de dentro e de fora do governo, no sentido de que ele mesmo deveria ser o presidente e, portanto, estar no comando da atual transição do país. “Nessa segunda visão, à qual eu me filio, a gente já tem um clima de conspiração dentro do próprio governo. Se essa visão minoritária prevalecer, Maia vai começar a minar o presidente Temer. A primeira percepção disso se daria na votação em que se decide a questão”, avalia Caldas.
De acordo com o professor, dependendo de como a relatoria e a votação se organizarem, e como o DEM vai se posicionar, a ameaça a Temer é muito maior do que ele mesmo supõe.
Esta semana, houve um notório recrudescimento na agressividade de Rodrigo Maia em direção ao Palácio do Planalto. O motivo, mais uma vez, foi a disputa por parlamentares que devem desembarcar do PSB e que Temer tem se esforçado para levar ao PMDB sem nenhuma discrição. (...)
Clique Aqui para continuar lendo (via CUT Nacional)

22 setembro 2017

Já está no ar o PORTAL 'O Boqueirão Online'



Portal de notícias, política, artigos, cultura, entrevistas, variedades, opiniões... y otras cositas más! 

*Uma alternativa inteligente, democrática e posicionada para quem busca informações que fujam do 'lugar comum' da chamada 'grande mídia' (com suas contumazes distorções, hipocrisias, limitações e parcialidades)...

CLIQUE AQUI para acessar o novo PORTAL

20 setembro 2017

SUBPROCURADORA ELENCA NOVE RAZÕES PARA STJ ANALISAR PEDIDO DE SUSPEIÇÃO DE MORO; DEFESA DE LULA DIZ QUE JUIZ PERMITE “PROVAS SECRETAS” E QUER PERÍCIA; VEJA ENTREVISTA

Papéis apócrifos e sem origem definida, alega defensor



Da Redação*
A subprocuradora da República Aurea Maria Etelvina Nogueira Lustosa Pierre deu parecer favorável a que o Superior Tribunal de Justiça (STJ) considere o pedido da defesa de Lula para que se discuta a suspeição do juiz Sérgio Moro, sob o qual correm três processos contra o ex-presidente.
A decisão de acatar ou não o parecer cabe ao próprio STJ, segundo a defesa de Lula.
Em sua decisão, tomada segunda-feira, ela elencou nove razões apresentadas pelos advogados do ex-presidente:
Questões trazidas (da e-fl 1505/1508):
1 – Na APn 5046512-94.2016.404.7000 – linguagem de certeza de condenação no recebimento da Denúncia (Apartamento 164-A);
2 – Na mesma Decisão esclarecimento sobre a Denúncia apresentada pelo MPF – quanto à individualização da responsabilidade;
3 – Evento em 06/12/216, ‘Revista Isto É’  – fotografia trazida;
4 – A defesa do magistrado na Queixa-Crime apresentada;
5 – Vídeo com divulgação em redes sociais – figurando o magistrado com membros do órgão de acusação;
6 – Brasil apresentou informações em 27/01/2017 ao Comitê de Direitos Humanos da ONU, referente à comunicação do Agravante em 28/7/2016;
7 – Em audiência de 16/12/2016, permitido o tratamento indevido para com o Acusado;
8 – O magistrado após audiência, fora da gravação, dirigiu provocação ao Advogado do Agravante;
9 – Inquirição de Testemunhas com potencial de prejudicar o Acusado.
A foto a que se refere a subprocuradora causou escândalo: num evento da revista IstoÉ, o juiz Sergio Moro aparece conversando ao pé do ouvido com o senador tucano Aécio Neves.
Em entrevista ao Viomundo, gravada antes que a decisão da subprocuradora fosse de conhecinento público, o advogado Cristiano Martins Zanin afirmou que o juiz Moro está cerceando a defesa do ex-presidente no processo em que Lula é acusado de receber benefícios da Odebrecht.
Segundo Cristiano, a acusação utiliza informações supostamente coletadas na chamada “área de operações estruturadas” da empreiteira, sem permitir que a defesa faça perícia para saber se os documentos são verdadeiros.
De acordo com Zanin, anotações sem assinatura e papéis sem origem foram apresentados pelo MPF como se fossem “documentos” com valor legal.
O advogado diz que Moro tem negado sistematicamente os pedidos da defesa para que os papéis sejam periciados e a origem deles claramente definida.
Na entrevista ao Viomundo, Zanin disse que Moro está permitindo a utilização de “provas secretas” no processo (veja íntegra acima).
“Negar a prova à defesa significa produzir um processo ilegítimo. O juiz Moro está agora introduzindo a prova secreta no processo, o que só vem a confirmar tudo o que sempre dissemos: estes processos não estão sendo tratados dentro da lei e da Constituição Federal”, diz.
No vídeo, o entrevistador se equivoca sobre o número de processos nos quais Lula já se tornou réu: agora são sete.
Veja também:
*Via Viomundo

16 setembro 2017

POR QUE JOSÉ DIRCEU RESISTE?


Por Breno Altmann*

Ele sabe que voltará à cadeia e que permanecerá preso até o derradeiro de seus dias, a não ser que o STJ ou o STF ponham fim ao caos jurídico instalado pela Operação Lava Jato. Ou que haja uma grande mudança política no país.

Também tem plena consciência que sua prisão perpétua, acompanhada pela de Lula, é o objetivo final da aliança entre setores da tecnocracia judicial, a mídia monopolista, os partidos de direita e o grande capital.
Quando esse processo draconiano se encerrar, por absolvição ou delação, por casuísmo, acordo ou cumprimento parcial de pena, provavelmente todos os demais réus e suspeitos estarão livres.
Talvez falte coragem para prender o ex-presidente. Mas José Dirceu é o troféu do qual as forças mais reacionárias não podem abrir mão.
Seu encarceramento indefinido, da forma mais brutal e indigna, tem o valor simbólico do encurralamento e destruição da esquerda brasileira, da geração resistente e do Partido dos Trabalhadores.
E exatamente porque tem plena consciência do que está em jogo, o ex-presidente nacional do PT resiste.
Não inventa mentiras e não trai.
Não capitula nem esmorece.
Não abandona a luta política, ocupando seu lugar do jeito que é possível, ainda que nas piores condições.
Como já ocorreu em outros momentos de sua geração, Dirceu sabe que seu sacrifício, por mais cruel e doloroso que seja, é uma obrigação ideológica e política para manter elevadas a moral e a esperança das fileiras que dirigiu por décadas.
Se vergasse ou quebrasse, rasgaria sua biografia e levaria milhares, muitos milhares de lutadores e lutadoras ao mais profundo desânimo.
Por isso resiste.
Por sua história pessoal, construída desde a luta revolucionária nos anos 1960, e a memória de tantos companheiros seus tombados em combate.
Por compromisso em derrotar moralmente seus algozes e os do povo brasileiro, que são os mesmos.
Por dever histórico de jamais decepcionar ou frustar a combativa militância que dá vida à esquerda brasileira.
Por sua esperança de que melhores dias virão, e por isso vale a pena lutar.
Por convicção de que seu comportamento frente à escalada repressiva faz parte dos esforços para a realização dessa esperança.
Não importa o quanto elevem sua pena ou quantas vezes mais o condenem, em um espetáculo de perseguição e injustiça, Dirceu irá resistir.
Seus companheiros sabem disso.
O povo brasileiro sabe disso.
Mais que todos, seus inimigos sabem disso e por essa razão exibem tanta fúria, esse sentimento tão próximo ao desespero dos que serão, mais cedo ou mais tarde, condenados pela história.

14 setembro 2017

Professores do Estado se unem a outros servidores em dia de protesto em Porto Alegre


Fernanda Canofre*
A chuva forte que caiu no fim da tarde desta quinta-feira (14), em Porto Alegre, não esmoreceu o protesto de servidores que marcaram a data como Dia Nacional de Luta em Defesa dos Serviços Públicos em todo o país. Na capital gaúcha, o ato na Esquina Democrática reuniu centenas de pessoas, debaixo de guarda-chuvas e capas de plástico, para debater as políticas que vêm sendo conduzidas pelos governos municipal, estadual e federal, que afetam a classe.
O ato do fim da tarde foi o que uniu todas as categorias de servidores. Em cima do caminhão de som, entidades como Cpers (Centro de Professores do Estado), CUT-RS (Central Única de Trabalhadores), Sintrajufe (Sindicato dos Trabalhadores da Justiça Federal) e Assufrgs (Associação dos Servidores da Universidade Federal do Rio Grande do Sul), se revezaram em falas pontuando a necessidade de ir às ruas.
Os trabalhadores do Judiciário Federal paralisaram durante toda a quinta-feira. Segundo o Sintrajufe, eles protestam contra as medidas de Michel Temer (PMDB) que afetam a todos os trabalhadores, como a reforma trabalhista, da Previdência Social e a liberação das terceirizações, e contra mudanças previstas para a categoria, como o fim da estabilidade para servidores públicos, extinção das zonas eleitorais e da Justiça do Trabalho. (...)
CLIQUE AQUI para continuar lendo (*via Sul21).

11 setembro 2017

A “JUSTIÇA” USA ÓCULOS ESCUROS



Por Fernando Rosa* – A foto de Rodrigo Janot de óculos escuros, num canto de um bar em Brasília, em meio a engradados de cerveja, em íntimo convescote com o advogado de Joesley Batista é a imagem da falência da Procuradoria Geral da República. A decisão do ministro Edson Fachin de mandar prender apenas os empresários da JBS e deixar livre o procurador Marcelo Miller completa o cenário da absoluta decadência do judiciário brasileiro. O Supremo Tribunal Federal (STF), desde sua anuência ao golpe de Estado, tornou-se um jazigo habitado por togados insepultos, enquanto a Procuradoria Geral da República (PGR) virou um balcão de traição aos interesses nacionais e, suspeita-se, de negócios milionários.
Em 10 de junho, Giovanni Vincenzo di San Felice V, Conde de Bagnolo, colaborador do blog Senhor X, afirmou que “a recente delação bombástica do empresário Joesley Batista, da JBF, produziu um abalo de sísmicas proporções no cenário nacional, aprofundando a crise que já não era pequena”. “Novos personagens foram introduzidos no cenário e, no calor dos embates sobre o destino do governo Temer; alguns permanecem como atores menores, outros no anonimato, sem a devida atenção que merecem”, escreveu. Segundo ele, “a maioria dos atores políticos procura desempenhar seus papéis em torno das revelações, enquanto o governo Temer estertora, produzindo um enredo de autêntica ópera bufa”.
A ópera bufa, então, está finalmente revelando o papel da PGR e de seu chefe Rodrigo Janot, assim como do juiz Sérgio Moro, em resumo, da Operação Lava Jato, na deliberada ação contra o Estado brasileiro. Não é de hoje que pesa sobre a Lava Jato a suspeição de ter sido encomendada a partir das escutas telefônicas pelas agências norte-americanas de inteligência, que espionaram autoridades e empresas nacionais. “Desde 2015, juízes do STF, além de Sergio Moro, não saem do Instituto Wilson, conhecido think tank da CIA, e uma das instituições que, através desses seminários, dentre outras atividades, deu importante apoio ao golpe no Brasil”, escreveu Miguel do Rosário, em seu blog O Cafezinho.
Assim como Rodrigo Janot e Sérgio Moro em oportunidades anteriores, confirmando a regra, na semana passada foi a vez do juiz Luís Roberto Barroso cumprir o ritual da cooptação a que o judiciário nacional tem sido alvo desde algum tempo. “Para onde quer que se olhe no Brasil, onde há dinheiro público, há algo de errado. Petrobras, Eletrobras, BNDES, Caixa Econômica, fundos de pensão. Não é algo localizado”, declarou o ministro em palestra no Instituto Wilson, segundo registrou o portal da BBC online. O “surpreso” e cândido ministro do STF, evidentemente, também cumpriu com a “obrigação contratual” de citar a condenação recente do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva pelo crime de corrupção.
Em artigo neste final de semana, o jornalista Ricardo Amaral alerta que “não podemos perder o foco da indignação: o mal da Lava Jato não está nos delatores, sejam eles cínicos, oportunistas ou desesperados”. Diz ele que “o mal está em uma exceção aberta no sistema judicial brasileiro, com o patrocínio da Globo e a conivência dos tribunais superiores, que suspende o estado direito para perpetrar a caçada contra Lula e o campo político que ele representa”. “O preço é a revogação da soberania nacional e de tudo o que o povo brasileiro conquistou desde 2003”, conclui ele, apontando para o centro da luta neste próximo período.
Exceto as Forças Armadas, a Conferência Nacional dos Bispos do Brasil e as entidades populares e associativas, nem todas, as instituições brasileiras estão falidas, perderam o sentido de sua existência para atender à sociedade e ao país. Qual país no mundo conviveria com uma PGR “independente” e acima do Estado Nacional, um STF acovardado e, ao mesmo tempo inútil, e uma Polícia Federal seletiva e persecutória? É hora, portanto, de aprofundar a denúncia da ação criminosa e antinacional desses setores, impedir o exercício despótico de seu poder e “refundar” uma nova ordem institucional no país.
*Fonte: Blog Senhor X

Portal 'O Boqueirão Online'


PORTAL 'O BOQUEIRÃO ONLINE' JÁ ESTÁ NO AR!

Estreou ontem o novo Portal que sucede - e aprimora - o Blog 'O Boqueirão Online', nosso 'parceiro e coirmão'. Veja abaixo o post que inaugurou o novo Portal da nossa blogosfera:

Bem vindos ao Portal!
10.09.2017

Prezados(as) leitores(as), é com grande satisfação que estamos inaugurando hoje o nosso novo Portal de Notícias, Artigos, Informações, Cultura e Variedades. 

O Portal 'O Boqueirão Online' - que sucede ao Blog com o mesmo nome, mídia alternativa e independente - busca assim continuar contribuindo, agora de forma mais efetiva com a boa informação, com a diversidade, o debate e a pluralidade tão necessários - também - na blogosfera regional.

Informamos, importante ressaltar, que estamos operando ainda de forma experimental. 

O Portal será, portanto, paulatinamente aprimorado.

Agradecemos sua honrosa visita. 

Sejam bem vindos - e boa leitura!!!
...
-Para acessar o Portal CLIQUE AQUI

*Apoie o Portal 'O Boqueirão Online'!  Contate através do e-mail (ou fone) abaixo para anunciar, comentar - e/ou conversar com os Editores do Portal.  Nós iremos até você!
...

- Fone/whats: 55- 98459.5009

07 setembro 2017

Técio Lins e Silva: “Eu não posso conviver com advogados que se prestam ao papel horroroso de Joaquim Silvério dos Reis”; veja vídeo

Da Redação*
Trecho da intervenção do jurista Técio Lins e Silva em evento realizado em 26 de agosto de 2017, no antigo prédio da Justiça Militar, em São Paulo, à Avenida Brigadeiro Luís Antônio, 1249.
O local abrigará o futuro Memorial da Luta pela Justiça.
Em sua fala, Técio, que há 50 anos atua como advogado criminalista, condenou a delação premiada e a nova categoria profissional — a dos advogados delacionistas:
Eu não posso conviver com advogados que se prestam a esse papel horroroso, que é o papel que representou Joaquim Silvério dos Reis.
A delação está nas Ordenações Filipinas, do reino de Portugal, de 1500.
(…) 
É mentira que a delação premiada é uma legislação moderna.  A delação é atrasada, é da Idade Média.
 A delação não é nada moderna.
Joaquim Silvério dos Reis fez a delação premiada. Ganhou o quê? O títulode coronel, manteve o seu patrimônio enorme e foi embora para Portugal…

Hoje o feriado nacional é de quem? De Joaquim Silvério dos Reis?
O feriado nacional é de Joaquim Silvério ou de Tiradentes, o delatado por um prêmio?
Joaquim Silvério dos Reis premiada está nas Ordenações Filipinas de Portugal.
Joaquim Silvério dos Reis é o símbolo da canalhice, o que de pior tem na natureza humana
Nós não podemos conviver com a repetição de Joaquim Silvério dos Reis. 
As Ordenações Filipinas, ou Código Filipino, é uma compilação jurídica, criada em 1.595 para a União Ibérica (Portugal e Espanha).
Ela só começou a ser observada após a sua impressão em 1.603.
Ao fim da União Ibérica (1580-1640), o Código Filipino continuou vigorando em Portugal.
Embora muito alterado, constituiu a base do direito português até a promulgação dos sucessivos códigos do século XIX, sendo que muitas disposições tiveram vigência no Brasil até o advento do Código Civil de 1916.
Leia também:
*Fonte: Viomundo

06 setembro 2017

Defesa de Lula diz que Palocci acusa para ser libertado



O advogado Cristiano Zanin, advogado de Lula, divulgou há pouco nota dizendo que as acusações feitas hoje pelo ex-ministro Antonio Palocci em depoimento a Sérgio Moro tem como motivação a negociação das penas de de 12 anos a que foi condenado, antecipadas há um ano pela prisão a que está submetido.

Zanin diz que as declarações de Palocci são inconsistentes, fala de reuniões das quais não participou e que não tem provas do que diz.

Leia a nota:

A história que Antonio Palocci conta é contraditória com outros depoimentos de testemunhas, réus, delatores da Odebrecht e provas e que só se compreende dentro da situação de um homem preso e condenado em outros processos pelo juiz Sérgio Moro que busca negociar com o Ministério Público e o próprio juiz Moro um acordo de delação premiada que exige que se justifique acusações falsas e sem provas contra o ex-presidente Lula. Palocci repete o papel de réu que não só desiste de se defender como, sem o compromisso de dizer a verdade, valida as acusações do Ministério Público para obter redução de pena e que no processo do tríplex foi de Léo Pinheiro.

A acusação do Ministério Público fala que o terreno teria sido comprado com recursos desviados de contratos da Petrobrás, e só por envolver Petrobrás o caso é julgado no Paraná por Sérgio Moro. Não há nada no processo ou no depoimento de Palocci que confirme isso. Sobre a tal “planilha”, mesmo Palocci diz que era um controle interno do Marcelo Odebrecht e que “acha” que se refere a ele. Ou seja, nem Palocci conhecia a tal planilha, quanto mais Lula.

Palocci falou de uma série de reuniões onde não estava e de outras onde não haveriam testemunhas de suas conversas. Todas, falas sem provas.
Marcelo por sua vez diz ter pedido que seu pai contasse para Lula e Emílio negou ter contado isso para Lula.

O réu Glauco da Costa Marques reafirmou em depoimento ser o proprietário do imóvel vizinho ao da residência do ex-presidente e ter contrato de aluguel com a família do ex-presidente, e que está recebendo o aluguel. Uma relação de locador e locatário não se confunde com propriedade oculta.

Processos fora da devida jurisdição com juiz de notória parcialidade, sentenças que não apontam nem ato de corrupção nem benefício recebido, negociações secretas de delação com réus presos que mudam versões de depoimento em busca de acordos com o juízo explicitam cada vez mais que os processos contra o ex-presidente Lula na Operação Lava Jato em Curitiba não obedecem o devido processo legal.

O Instituto Lula reafirma que jamais solicitou ou recebeu qualquer terreno da empresa Odebrecht e jamais teve qualquer outra sede que não o sobrado onde funciona no bairro do Ipiranga em residência adquirida em 1991.

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva reafirma que jamais cometeu qualquer ilícito nem antes, nem durante, nem depois de exercer dois mandatos de presidente da República eleito pela população brasileira.

*Fonte: Tijolaço (Por Fernando Brito)

Lula, Dilma e PT, subam o tom contra capa criminosa do Globo!*

GLOBO PIRATA

Por Eduardo Guimarães*, Editor do Blog da Cidadania - Quando a gente pensa que já viu de tudo, sempre aparece uma surpresa. A mídia – Globo à frente – faliu o Brasil para tirar o PT do poder. Pôs na rua uma extrema-direita considerada radical até em países em que discurso nazista é visto como “liberdade de expressão” – refiro-me aos EUA, claro.
Não há nada que o consórcio neoliberal que envolve mídia, judiciário e empresariado não faça para evitar que os brasileiros recuperem direitos que lhes estão sendo tirados. E esse consórcio está ficando assustado porque Lula está se fortalecendo muito e rapidamente.
No post anterior, este Blog divulgou que é estratégia da direita vender que Lula “já está condenado” para criar um clima de desânimo na militância e tornar favas contadas o impedimento para o ex-presidente disputar a eleição presidencial do ano que vem. E que essa estratégia se baseia em mentira.
Lula, Dilma e o PT são alvos permanentes de um ataque político desmedido. O empresariado, as 5 mil famílias que controlam quase 1/3 da riqueza nacional só querem fazer o Brasil voltar a ser um país com uma minúscula Casa Grande cercada por uma descomunal Senzala de cerca de 8 milhões de quilômetros quadrados.
E estão conseguindo com rapidez inaudita exterminando direitos trabalhistas, cortando programas sociais, reduzindo verbas para Educação, Saúde etc.
Eis que o passar do tempo vai mostrando ao povão que o golpe foi golpe, que os acusadores de Dilma, de Lula e do PT são bandidos e que os derrubaram para poderem saquear o país e, acima de tudo, o tempo vai fazendo o povo querer que Lula volte e devolva o país à era de bem-estar social que o petista inaugurou em 2003.
Amigo de uma cidadezinha conservadora do interior de São Paulo relata que um mercado de gêneros alimentícios colocou uma “urna” e cédulas com nomes de dez candidatos a presidente para que os clientes preenchessem e “votassem”.
A cédula trazia os principais: Lula, Bolsonaro, Doria, Alckmin, Moro,  Marina, Aécio…
O dono do mercado ficou surpreso. Lula teve mais de 60% dos votos em uma cidade em que os bolsomínions são extremamente ruidosos.
Os ataques a Lula vão se intensificar muito. Como este Blog previu muitas vezes, ele vai se fortalecer muito até o ano que vem. Na verdade, vai se fortalecer tanto que a segunda instância da Justiça terá dificuldade de condená-lo sem provas, como fez Moro recentemente.
A capa do jornal O Globo desta quarta-feira, 6 de setembro de 2017, é uma das maiores indignidades que este país já viu. É uma armação criminosa, covarde, mentirosa como poucas vezes o Brasil já presenciou.
globo 1
Aliás, a capa desse lixo autoproclamado “jornal” é um insulto ao povo brasileiro porque parte do princípio de que esse povo é estúpido, incapaz de ler direito as legendas para perceber que a matéria sobre a acusação do procurador-geral da República a Dilma, Lula e PT nada tem que ver com a foto das malas de dinheiro de Geddel Vieira Lima.
O desprezo da família Marinho pelos brasileiros é tanto que acredita que colocar juntas a foto e a notícia sobre o ataque oportunista de Rodrigo Janot aos petistas (para não ser acusado de “petista” ao atacar Temer e Aécio) irá confundir o povo e todos acharão que Lula, Dilma e o PT são os responsáveis pelas malas de dinheiro.
Dilma Rousseff já soltou uma nota pelo Twitter, mas Lula e o PT ainda não tinham se pronunciado até o momento em que este post foi escrito. Fatalmente farão. Contudo, acho que uma mera declaração será pouco.
Urge que seja convocada uma grande manifestação de protesto na porta do jornal O Globo e que os ex-presidentes Lula e Dilma comecem a falar sem parar desse golpe jornalístico que constitui a capa criminosa que tenta atribuir aos petistas as malas de dinheiro encontradas com os golpistas tucano-temerários.
Explicar ao povo a armação de O Globo permitirá fazer esse povo entender que não pode levar em conta o dito “jornalismo” das famílias midiáticas como a família Marinho, a família Frias, a família Mesquita, a família Civita e assemelhadas.
Exorto Dilma, Lula e o PT a reagirem com força a essa armação, a aproveitarem a oportunidade para provarem ao povo brasileiro como a mídia é calhorda. Muita gente vai associar aos petistas aquela imagem das malas de dinheiro. Fazer essa gente descobrir que foi enganada será de um didatismo insuperável e o tiro desses piratas midiáticos sairá pela culatra.

Lula a Janot: vamos voltar a governar esse país!


Dilma: o estado de Exceção não prevalecerá
LulaDinoSLZ.jpg
O correspondente da Folha não viu Lula e Dino: se atrasou e ficou em Teresina (Créditos: Ricardo Stuckert)
Reações ao PowerPont do Janot, que "só deixou D. Lindu de fora":
A denúncia da PGR, sem qualquer fundamento, é uma ação política. É o auge da campanha de perseguição contra o ex-presidente Lula movida por setores partidarizados do sistema judicial. Foi anunciada hoje para tentar criar um fato negativo no dia em que Lula conclui sua vitoriosa jornada pelo Nordeste.
Assessoria de imprensa do ex-presidente Lula

(Em São Luis, ao lado do governador Flávio Dino - que quer ir pra cima dos bancos - Lula avisou à impressionante plateia: preparem-se porque vamos voltar a governar este país!")
Essa denúncia, cujo teor ainda não conhecemos, é mais um exemplo de mau uso das leis para perseguir o ex-Presidente Lula, que não praticou qualquer crime e muito menos participou de uma organização criminosa. É mais um ataque ao Estado de Direito e a democracia.
O protocolo dessa denúncia na data de hoje sugere ainda uma tentativa do MPF de mudar o foco da discussão em torno da ilegalidade e ilegitimidade das delações premidas no país.
Cristiano Zanin, advogado de Lula

1. Sem apresentar provas ou indícios da materialidade de crime, o chefe do Ministério Público Federal oferece denúncia ao Supremo Tribunal Federal sem qualquer fundamento.
2. Caberá ao STF garantir o amplo direito de defesa e reparar a verdade, rejeitando-a. 
3. A Justiça será feita e não prevalecerá o Estado de Exceção. Não há mais espaço para a Justiça do Inimigo.
Assessoria de Imprensa
Dilma Rousseff

*Via Conversa Afiada, do jornalista Paulo Henrique Amorim

05 setembro 2017

Não festeje, Temer. Acharam o apartamento-cofre de Geddel



É bom suspender a encomenda de champagne do Palácio do Planalto para comemorar o “sorvete na testa” de Rodrigo Janot.
Na Semana da “Flechada Final”, ao que parece, tem muito para acontecer.
A descoberta de uma – literalmente – montanha de dinheiro num apartamento da  Rua Barão de Loreto, no bairro da Graça, em Salvador, que havia sido emprestado ao ex-ministro Geddel Vieira Lima recolocou Temer debaixo de fogo.
Daqui a pouco deve-se ter o valor, mas tudo indica que é a casa de dezenas de milhões de reais.
Coisa de fazer as malas de Rocha Loures e Aécio Neves parecerem “pochetes”.
Grana que Geddel, com certeza, não ganhou vendendo acarajé.
Geddel, ao contrário de Cunha, não deu sumiço no que recebeu em dinheiro vivo e a razão mais provável para isso é que tinha de repassar e, com a delação da JBS, deve ter ouvido um “guenta aí”.
É a reviravolta da reviravolta, em menos de 24 horas.
E, sem dúvida, a imagem do dia, que vai falar mais alto que os diálogos abandidados de Joesley Batista.
O Jornal Nacional vai ser uma festa até na China.
*Por Fernando Brito no Tijolaço

04 setembro 2017

O estrondoso silêncio sobre Moro*




Bob Fernandes, falando tudo o que a mídia silencia, vergonhosamente.
Em texto e, ao final, em vídeo:
O silêncio pode ser arma poderosa. Pode condenar adversários ou inimigos ao esquecimento. E pode proteger amigos ou aliados.
O silêncio é eficaz nas disputas de Poder. O silêncio se torna arma quando imposto pelos que noticiam sobre Poder, Política e seus atores.
Há anos a Lava Jato, seus personagens e alvos, são tema central no debate político. Na coluna Radar, da revista Veja, foi publicada informação sobre a Lava Jato.
Com exceção das redes sociais, há 48 horas impera estrondoso silêncio midiático sobre essa informação.
Maurício Lima afirmou: a Força-Tarefa da Lava Jato oculta, há pelo menos dois anos, importante informação da Receita Federal.
O advogado Zucolotto é grande amigo de Moro. Foi padrinho do casamento do juiz com Rosangela. Que foi sócia de Zucolotto. Onde estão a informação e o problema?
O problema é: o escritório de Zucolotto, amigo do casal Moro, foi correspondente, colaborador, do escritório do advogado Tacla Duran. Depois investigado pela Lava Jato.


A informação da Receita Federal, ocultada pela Lava Jato, é: Tacla Duran, investigado na Lava Jato, fez pagamentos para o escritório de Zucolotto e Rosangela Moro.

Duran é acusado de lavar dinheiro e integrar organização criminosa. À época dos fatos Rosangela ainda estava no escritório de Zucolotto, segundo relato da Veja, documentado.
Há uma semana, na Folha, Monica Bergamo informava: Zucolotto, advogado amigo de Moro, acusado de intermediar negociações com a Lava Jato.
O acusador, esse mesmo Tacla Duran. E o que ele diz? Que Zucolotto tentou negociar para “melhorar” os termos da sua delação.
Tacla Duran, ex-advogado da Odebrechet, tem dupla cidadania. Não fez delação e refugiou-se na Espanha. Onde está livre.
Há dias, antes dessa informação acrescentada por Veja, Moro respondeu: “Zucolotto é profissional sério e competente”. E Tacla Duran “um acusado pela justiça brasileira”.
O que esperar sobre essas informações e história? Apuração e respostas. Sem imposição do estrondoso silêncio.
*Por Fernando Brito in Tijolaço