22 setembro 2019

Editor do blog CloacaNews, Willians Miguel partiu hoje. No mesmo ano que PH Amorim

Willians Miguel foi um pioneiro da chamada "blogosfera" de esquerda

Willians Miguel e Paulo Henrique Amorim (Reprodução)

Por Rodrigo Vianna*

Editor do blog CloacaNews, culto e engraçado, Willians Miguel partiu hoje. No mesmo ano que PH Amorim…
Fomos processados juntos por Ali Kamel – ao fazermos piada sobre a homonimia entre o diretor da Globo e um ator pornô (sim, processados e condenados por uma piada – isso em 2011, prenúncio da onda que viria).
Entrevistamos juntos no Palácio, em 2010, o Lula – que o chamava carinhosamente de “Cloaquinha”.


Ganhou em 2010 o troféu Barão de Itararé, de “Blogueiro do Ano”.
Que saudade do amigo!
Foi um pioneiro da chamada “blogosfera” de esquerda.
Antes, havia trabalhado na Editora Abril, na fase boa da editora.
Paulistano da zona sul, morava em Porto Alegre.
Deixa filhos e a companheira Carla Kunze – militante de esquerda.
Que saudade.
Que tristeza.
Mais um que morre de Brasil.
Descansa, Cloaquinha!

*Jornalista - via Revista Fórum
...
**Nota deste Editor: Que trágica notícia! Grande perda!

O nosso bravo amigo e cda Willians, lúcido, culto, irreverente, combativo e corajoso blogueiro Sr. Cloaca, já está fazendo muita falta.

Carla Kunze, Paulo Henrique Amorim, Willians Miguel e Júlio Garcia

Nós, que restamos, os 'blogueiros sujos', temos que honrá-lo... continuando a luta! 

-Companheiro Willians #CloacaNews: Presente!

21 setembro 2019

Vaza Jato prova que vivemos num bordel de togas


"Para quem não entendeu ainda: Sérgio Moro, o mesmo juiz que iria julgar e condenar Lula, no inacreditável caso do triplex do Guarujá, deu orientações para os procuradores – acusadores de Lula – montarem uma nota pública que lhe salvasse a pele", elucida o jornalista Leandro Fortes "Lula só está preso – e, esses patifes, livres – porque não estamos vivendo em um país, mas em um bordel de togas", acrescenta



Por Leandro Fortes, para o Jornalistas pela Democracia* - Prestem atenção nesse diálogo, o mais recente vazado pelo Intercept Brasil. Nele, os procuradores federais Deltan Dallagnol, chefe da força-tarefa da Lava Jato, em Curitiba, e José Robalinho Cavalcanti, então presidente da Associação Nacional dos Procuradores da República (ANPR), em 2016, combinam uma nota oficial para ajudar o chefe a sair de uma enrascada: 
Dallagnol – 01:43:21 – Moro pede pra não usar o nome dele... colocaria "no Juiz da 13ª Vara Federal de Curitiba'
Robalinho – 01:43:34 – Aí sou contra
Robalinho – 01:43:45 – Deltan temos de defender ele com todas as letras
Robalinho – 01:43:49 – O nome mesmo
O chefe, para quem ainda se surpreende, era o juiz do caso, Sérgio Moro, então titular da 13ª Vara Federal de Curitiba. Moro tinha acabado de tornar públicos áudios de conversas entre a então presidenta Dilma Rousseff e seu antecessor, Luiz Inácio Lula da Silva, naquilo que se tornaria o ponto de inflexão da Lava Jato como ação judicial clandestina de caráter golpista e partidário.
Para quem não entendeu ainda: Sérgio Moro, o mesmo juiz que iria julgar e condenar Lula, no inacreditável caso do triplex do Guarujá, deu orientações para os procuradores – acusadores de Lula – montarem uma nota pública que lhe salvasse a pele.
No limite, era uma organização criminosa formada por um juiz e dois procuradores para enganar a população e fraudar os argumentos que seriam colocados, mais tarde, nas explicações ao Supremo Tribunal Federal.
Lula só está preso – e, esses patifes, livres – porque não estamos vivendo em um país, mas em um bordel de togas.

19 setembro 2019

Bolão que ganhou sozinho na Mega-Sena se chamava Lula Livre

Os petistas que dividirão o prêmio de R$ 120 milhões apostavam todas as semanas e chamavam a aposta de “bolão Lula Livre”. Ao todo, 50 famílias serão beneficiadas e cada apostador gastou apenas 10 reais; copeiras também receberão o prêmio 

(Foto: Felipe L. Gonçalves/Brasil247 | Rafael Neddermeyer/Fotos Públicas)

247* - Os petistas que dividirão o prêmio de R$ 120 milhões apostavam todas as semanas e chamavam a aposta de “bolão Lula Livre”. Ao todo, 50 famílias serão beneficiadas e cada apostador gastou apenas 10 reais. 

Quatro copeiras que não participaram do bolão, mas que sempre apostavam com o grupo de assessores do PT, também receberão o prêmio. 

O clima de festa da noite anterior ainda domina o gabinete petista nesta quinta-feira (19). 

A recepção começou o dia vazia, mas a aposta de servidores do partido é que parte dos vencedores não abandonará o emprego.

— São R$ 2 milhões. Não dá para viver o resto da vida. É hora de não ceder ao impulso, manter os pés no chão e seguir trabalhando — diz um dos vencedores, que pediu à reportagem do jornal O Globo para não ter o nome exibido.


ENTREVISTA


Empreendedora, cuide da sua saúde mental!


Por Gabriela Stahler, da Velvet Comunicação*

Setembro é o mês oficial da prevenção ao suicídio e a saúde mental vira pauta em muitos lugares e grupos sociais.

Uma das coisas que pode desencadear a depressão e o transtorno de ansiedade é o estresse causado pelo trabalho. Por isso, como nós da Velvet* trabalhamos direto com empreendedoras, viemos trazer algumas reflexões sobre o assunto.

Convidamos a psicóloga Laís Garcia (foto) para falar um pouco sobre saúde mental relacionada ao empreendedorismo. Confira:

Como as empreendedoras podem cuidar da saúde mental em meio ao dia a dia de trabalho?

Acredito que estabelecendo limites, não abrindo mão do lazer e vida social, trabalhando no exercício da não-procrastinação, tendo hábitos saudáveis e fazendo terapia.

Como não se cobrar tanto quando você trabalha sozinha?

Uma agenda, planner, buscar algo nesse sentido que funcione para si mesma pode ajudar. Com o auxílio desses dispositivos, é possível organizar melhor o tempo e controlar a ansiedade.

Quando colocamos no papel as tarefas que temos que fazer, muitas vezes percebemos que damos conta e que poderíamos estar catastrofizando ao achar que eram impossíveis de serem concluídas. Organizando melhor o tempo e usando desses limites, estabelecemos uma rotina mais tranquila e conseguimos regular nossa autocrítica, a fim de valorizarmos nossas conquistas e não nos cobrarmos excessivamente.

Como uma psicóloga pode ajudar as mulheres que têm seu próprio negócio?

Na abordagem que eu sigo, a terapia cognitivo-comportamental, partimos do princípio de que não é a situação em si que determina a forma como a gente se sente, mas sim como enxergamos aquilo que acontece com a gente.

A terapia pode ajudar a acertar essa visão, evitando distorções cognitivas – que são muito comuns no nosso dia a dia e as maiores causadoras da ansiedade. Interpretando o que acontece conosco de acordo com a realidade, lidamos com os problemas de uma maneira mais efetiva, tomamos melhores decisões e evitamos a sobrecarga física e mental que empreender pode causar.

Além disso, a partir do treino de habilidades sociais, é possível aprimorar a assertividade – habilidade importantíssima e super necessária de ser desenvolvida especialmente em mulheres num mercado de trabalho muitas vezes opressor e machista.

Por que você acha que a síndrome de Burnout está tão comum?

O esgotamento característico da síndrome de Burnout acaba sendo frequente no mundo em que vivemos principalmente em função do sistema capitalista ao qual estamos inseridos.

Este visa lucro acima de todas as coisas, ignorando o nosso bem estar em prol de uma produtividade exacerbada e muitas vezes inatingível, que faz com que pensemos nunca estarmos produzindo o suficiente – olhamos para nossas falhas com uma ênfase muito maior do que para as nossas conquistas, tornando-nos eternas devedoras de nós mesmas.

Como você faz para ter equilíbrio no seu dia a dia?

Organização, limites e terapia. Aceitando aquilo que não posso mudar, me comprometendo a mudar aquilo que é possível e valorizando as minhas pequenas vitórias cotidianas mais do que aquilo que, por “n” motivos, talvez não tenha conseguido fazer.
...


18 setembro 2019

Bacurau: estava demorando…

"Bacurau rompe a ideia disseminada de apresentar os pobres como figurantes passivos da máquina de moer carne de uma sociedade para lá de injusta. Bacurau vale-se de uma linguagem de paródia à Tarantino – como muitos já apontaram – para injetar sangue nos olhos de quem assiste. Há um pique de gibi na tela", constata o jornalista Gilberto Maringoni



Por Gilberto Maringoni*
A direita e o conservadorismo decidiram que Bacurau é um filme ruim, raso, populista e de narrativa pobre. O roteiro é unidimensional, são desconsideradas as contradições em uma sociedade complexa e os personagens são arquétipos toscos de manuais de política esquerdista.
Penso serem essas as melhores recomendações para quem não liga para preconceitos pedantes ir correndo ver a fita.
Pois Bacurau rompe a ideia disseminada de apresentar os pobres como figurantes passivos da máquina de moer carne de uma sociedade para lá de injusta. Bacurau vale-se de uma linguagem de paródia à Tarantino – como muitos já apontaram – para injetar sangue nos olhos de quem assiste. Há um pique de gibi na tela.
Sem interpretações chapadas do elenco, com humor sulfúrico e com uma câmera esperta e direção ágil, o filme nos leva a um povoado que se tornou lugar-nenhum nas entranhas do mercado. Foi apagado das redes e mapas internéticis e virtualmente expulso do planeta Terra. É nessa dimensão que a película explode.
Ao contrário de Bom dia para os defuntos, de Manuel Scorza, que faz contundente denúncia de uma derrota camponesa, Bacurau se aventura pela vitória dos de baixo. E aí está a raiz do estranhamento que provoca.
Há algo de Black Mirror nas pouco mais de duas horas de projeção. Fala-se de um futuro próximo, com miseráveis conectados em rede e de um Brasil pós termidor bolsonárico.
O debate estético-narrativo e os ataques nesse terreno – “glauberismo tardio” – encobrem o incômodo político que o filme suscita.
*Gilberto Maringoni de Oliveira é um jornalista, cartunista e professor universitário brasileiro.

Dilma: golpe admitido por Temer no ‘Roda Viva’ foi ponte para Bolsonaro

Ex-presidente usou duas vezes em um minuto o termo "golpe" para definir o impeachment de Dilma Rousseff. "Tentou se esquivar, mas projeto econômico o entrega", diz Dilma

São Paulo – RBA - A participação do ex-presidente Michel Temer (MDB) no programa Roda Viva, da TV Cultura, na noite de ontem (17), ganhou as redes e rodas de discussões políticas em todo o país. O destaque foi o momento em que chama o impeachment da ex-presidenta Dilma Rousseff (PT), em 2016, de “golpe”. O reconhecimento veio junto de uma tentativa dele de se desvincular da articulação golpista.
Dilma afirmou que a fala de Temer foi um “sincericídio”. “Admitiu que eu sofri um golpe de Estado e disse que se Lula tivesse ido para o meu governo não teria havido o impeachment”, completou a ex-presidenta, ao mencionar a continuação da fala de Temer de que se Lula não tivesse sido impedido pela Justiça de assumir a Casa Civil naquele ano, o golpe fracassaria.
O impedimento de Lula veio na esteira de uma jogada do ex-juiz Sergio Moro e da força-tarefa da Lava Jato, que vazaram conversas entre Lula e Dilma. Dos 22 áudios grampeados ilegalmente por Moro, o ex-juiz vazou apenas um, fora de contexto, com objetivo de manipular a movimentação e causar a impressão de que Lula estaria em busca de foro privilegiado.
Moro foi premiado por sua ação contra os petista e nomeado ministro da Justiça e da Segurança Pública pelo maior beneficiado com a ausência de Lula na eleição, Jair Bolsonaro (PSL). A narrativa contou com a conivência do Judiciário. Tais manobras ficaram às claras após a série de matérias conhecida como Vaza Jato começar a circular, com trabalho de jornalistas do The Intercept Brasil e outros parceiros. (...)
CLIQUE AQUI para ler na íntegra.

17 setembro 2019

Coluna C&A




Coluna Crítica & Autocrítica - nº 173

Por Júlio Garcia**

*Informa o conceituado site “Ópera Mundi” que a Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), em parceria com o Instituto Vladimir Herzog, denunciou nesta quinta-feira (11/09) à Organização das Nações Unidas (ONU) as ameaças do governo do presidente Jair Bolsonaro contra o "frágil processo de redemocratização" no país, após o mandatário iniciar um desmonte dos mecanismos de justiça e memória sobre a ditadura militar brasileira”. Reforça ainda que “a OAB ainda pediu para que a ONU "redobre a atenção" com governo Bolsonaro sobre as posturas do presidente em relação ao regime militar e as práticas de tortura e perseguição política realizadas à época”. *Sucinta nota deste colunista: ‘Já não era sem tempo!’

*Em relação a isso, também o histórico - e influente - jornal francês L’Humanité publicou recente Editorial onde chama a atenção para os retrocessos que estão ocorrendo no Brasil (em todos os sentidos) e defende, com todas as letras, a liberdade do ex-Presidente Lula. A manchete do jornal não deixa dúvida de sua posição: “Lula Livre”. Leiam a seguir:

“As políticas sociais de Lula tiraram 40 milhões de cidadãos da miséria. Depois de retirar o povo da pobreza após seus dois mandados, estava entre os favoritos das eleições, e tinha 90% de opinião favorável na população.

“Não desistiremos da luta até que o Brasil e os brasileiros estejam felizes novamente”, escreveu Lula depois da prisão aos leitores de L’Humanité, em 7 de abril deste ano. Nossas colunas não vão desistir. Não passa mais um dia sem as escandalosas e lamentáveis declarações do presidente de extrema-direita nas manchetes de jornais. Encarnação do fascismo a serviço do agronegócio, apoiado e financiado por patrões e banqueiros, Jair Bolsonaro mata um pouco mais a cada dia as conquistas sociais e democráticas do Brasil.

As políticas sociais de Lula tiraram 40 milhões de brasileiros da pobreza. Quando ele deixou o poder após dois mandatos, amplamente favorecido nas eleições, desfrutava de 90% da opinião favorável da população. Portanto, a chegada ao poder dessa ditadura militar nostálgica que, sem vergonha, assume seu desejo de arrasar parte da Amazônia e aniquilar povos indígenas não era inevitável. É o culminar de uma cabala, vamos assumir a palavra aqui, de uma conspiração, para desalojar a esquerda no poder.

Os fatos, apenas os fatos. Em 2018, após um julgamento injusto no qual foi acusado de se beneficiar da generosidade das construtoras, ganhando um apartamento em São Paulo, Lula foi condenado a doze anos de prisão, sem qualquer prova ou evidência, exclusivamente com base nas “convicções” do juiz Moro, que depois virou ministro da Justiça de … Jair Bolsonaro. Sua sentença é baseada apenas na “delação premiada“ de um ex-executivo da empresa que recebeu remissão de sentença no curso de seu testemunho contra Lula. Esse simulacro de justiça esconde um verdadeiro golpe de estado institucional, como o lançado dois anos antes para destituir Dilma Rousseff.

Neste fim de semana, em La Courneuve, o ex-presidente do Brasil se unirá ao povo da Fête de l’Humanité para cantar “Lula livre”, para que a campanha internacional por sua libertação se amplifique. Lula atrás das grades é a esperança de um povo inteiro que está condenado”.
...

*A propósito, o Partido dos Trabalhadores (PT) de Santiago, que realizou domingo passado (08/09) seu Encontro Municipal na Câmara de Vereadores (etapa do seu VII Congresso Nacional, ora em curso), elegendo na oportunidade a nova direção que assumirá em janeiro próximo, também vem discutindo a intensificação da campanha por Lula Livre em Santiago e Região, além do tema conjuntura política (nacional, estadual e municipal), seu fortalecimento, novas filiações, bem como sobre a tática que adotará nas eleições municipais de 2020. #Alutasegue!
...

**Júlio César Schmitt Garcia é Advogado, Pós-Graduado em Direito do Estado, Consultor, Poeta, dirigente político (PT) e Midioativista. Foi um dos fundadores do PT e da CUT. - Publicado originalmente no Jornal A Folha (do qual é Colunista) em 13/09/2019. 

*Via Portal O Boqueirão Online


https://oboqueiraoonline.wixsite.com/oboqueirao