31 março 2010

Sobre o Golpe Militar











Há 46 anos, a ditadura. E a festa da Direita

José Dirceu escreve:

Dia 31 de março de 1964, trabalhando no centro antigo de São Paulo, num escritório da Praça da República para pagar meus estudos, assisti perplexo e indignado às manifestações de júbilo e apoio aos golpistas vitoriosos depois de duas tentativas de implantar a ditadura no Brasil, em 1954 e 1961.
Mais uma vez eram os mesmos de sempre com a UDN à frente - essa mesmo que vocês se lembram, virou ARENA, PDS, PPB, PFL e agora se chama DEM. Vai mudando de nome tentando enganar e achando que o povo esquece.
Derrubavam um presidente constitucional, João Goulart - o Jango - eleito democraticamente para instalar no país uma ditadura militar que durou 21 anos se tomarmos a eleição de Tancredo Neves pelo Colégio Eleitoral como marco do seu fim, ou 24 anos se tomarmos como data a Assembléia Nacional Constituinte de 1988.

Os nefastos 21 anos que se iniciavam naquela noite
Naquele momento e com o desfile daquelas imagens da alta classe média paulistana e dos considerados na época "filhinhos de papai" do Colégio/Universidade Mackenzie apoiando entusiasticamente o golpe, iniciava-se a onda de repressão e violência que se abateria sobre o país e contra os democratas, os que defendiam a Constituição e a Liberdade.
Aquela cena e aquele dia mudaram para sempre a minha vida. Naquele momento tomei a decisão de me opor com todas as minhas forças e energias ao golpe militar, decisão que persegui durante vinte anos até a reconquista da democracia.
No momento em que assomei a janela para ver a cena dos estudantes de direita do Mackenzie descerem a Avenida Ipiranga rumo a Praça da República, mal sabia eu que minha vida estava sendo decidida naquela manhã de março, no simpático mês das águas e do meu aniversário.
Mal tinha idéia eu de que naquele dia e com as cenas que presenciava, se iniciava a mais longa e teneborosa noite que desabaria sobre o país, a nefasta ditadura sonhada e instaurada pela direita que sufocaria tantos e tantos democratas, atingiria em maior ou menor grau - e ainda que indiretamente - a todos os brasileiros, e se tornaria o período político e social mais nocivo vivido pelo país.

***
Só aqui imprensa torce contra o Brasil

Só no Brasil vê-se - e ouve-se - ao que assistimos e ouvimos desde ontem. Toda a midia, com algumas raras exceções, criticou o presidente Lula e o governo por lançar um programa de investimentos de R$ 1 trilhão, o PAC II, a nove meses do fim da atual administração federal.
Ao agir assim, ela deixa de reconhecer o óbvio: que o Estado volta a investir no Brasil quatro vezes mais que em oito anos de governo FHC, e que o PAC II é necessário e se constitui em um dos programas e metas mais completos já lançados no Brasil. Traz planos e obras para infraestrutura, gás e petróleo (pré-sal), habitação, saneamento, água e transportes para todo país, além de um grande investimento em energia, sem o que não vamos reduzir nossos custos e aumentar nossa produtividade.
Deixa de reconhecer, principalmente, que a nova fase do PAC concede grande prioridade às obras de infraestrutura econômica, do qual é um exemplo, pelo efeito multiplicador (de negócios e empregos) o Minha Casa, Minha Vida, agora ampliado para a construção de 2 milhões de moradias e o vasto programa de investimento em energia.
Incrível que a mídia adote essa posição, mesmo com o PAC II focado nas cidades, contemplando principalmente os mais pobres e necessitados e centrado em seus maiores problemas tais como falta de esgotos; água; habitação; transportes; obras de macro- drenagem; tratamento de resíduos sólidos do lixo; urbanização de favelas; fim das construções em áreas de risco, das enchentes e alagamentos.
...
*Fonte: Blog do Zé - http://www.zedirceu.com.br/

30 março 2010

A renúncia, ainda...



Marco Weissheimer escreve:

José Fogaça (PMDB) renunciou hoje ao cargo de prefeito de Porto Alegre, para o qual foi eleito no final de 2008. Uma das estratégias do PMDB para tentar neutralizar os impactos negativos da renúncia é compará-la, incessantemente, com a renúncia de Tarso Genro (PT) à prefeitura, em 2002. Essa estratégia foi replicada o dia inteiro hoje nos meios de comunicação de Porto Alegre, sendo abraçada por vários colunistas políticos. Além de tentar diluir os danos à imagem de Fogaça, esse movimento tenta puxar Tarso mais uma vez para o tema da renúncia. Um movimento esperado e previsível.

Mas isso não é o mais importante em todo esse episódio. O ofício do prefeito que renuncia não se dirige aos 470 mil e 696 portoalegrenses que acolheram, nas urnas, o pedido de Fogaça para permanecer mais quatro anos na prefeitura. O mínimo que o prefeito deveria fazer neste dia é dirigir-se a esses eleitores explicando suas razões. Fogaça não fez isso, limitando-se a enviar um ofício burocrático ao presidente da Câmara de Vereadores. Um ofício redigido numa linguagem bem distante das incursões emotivas do autor de “Vento Negro” que marcaram boa parte do discurso de campanha do candidato (...).

Tudo se passa como se Fogaça quisesse se livrar rapidamente do cargo e dessa situação incômoda, sem prestar contas à população do que fez até aqui e do porquê de sua decisão e abandonar o cargo para o qual foi eleito. O fato de Tarso Genro ter renunciado à prefeitura em 2002 não legitima politicamente a omissão de Fogaça em prestar contas a seus eleitores. As decisões que Tarso Genro e o PT tomaram no processo eleitoral de 2002 tiveram seu custo político. E esse preço foi pago. Por isso, o PT tem todo o direito (e dever) de se manifestar agora sobre a renúncia do prefeito e emitir seu juízo sobre a administração Fogaça. Quem tem uma conta a acertar agora com a população de Porto Alegre é o sr. José Fogaça. Uma conta cujo valor não pode ser pago com um ofício burocrático.
*Leia a postagem completa, escrita pelo jornalista Marco Weissheimer no blog RS Urgente, Clicando Aqui
...
**Edição e grifos deste blog

29 março 2010

Abandono...





PT cobra de Fogaça o abandono de Porto Alegre

A Direção do Partido dos Trabalhadores de Porto Alegre divulgou no dia de hoje, após reunião conjunta realizada com a Executiva Estadual do PT, Nota Oficial onde questiona severamente os resultados da atual administração municipal que, nos últimos 5 anos, foi comandada pelo prefeito José Fogaça (PMDB), que hoje renuncia ao mandato. Na avaliação da legenda, o saldo do balanço é extremamente negativo. Leia abaixo os principais pontos da Nota assinada pelo Presidente do PT da capital, vereador Adeli Sell:

Investimentos: "Os investimentos do Executivo diminuíram e os serviços municipais pioraram expressivamente. Temos uma cidade mais suja, com praças e áreas verdes mal cuidadas. As ruas estão tomadas de buracos e sujeira. Sem falar no trânsito, que está caótico, e nas calçadas quebradas, que em nada garantem a acessibilidade universal garantida a todos os porto-alegrenses. Importa remarcar que não houve, ao longo dessa administração, nenhuma grande obra viária para lidar com nosso conturbado trânsito. A propósito, nossa Capital não afundou ao descalabro administrativo do governo Fogaça por conta das ações do governo do Presidente Lula, que investiu mais de R$ 4,22 bilhões de recursos no município, de 2003 até os dias de hoje. Na verdade, o prefeito Fogaça foi pródigo em perder oportunidades, e deixou de captar para a Capital importantes recursos públicos federais como os programas destinados às áreas de saúde e de assistência social. ".

Corrupção: "Lamentamos, na mesma medida em que avaliamos a inepta performance administrativa do prefeito Fogaça, que a corrupção e os desvios de recursos públicos tenham sido freqüentes nessa administração. Tanto o Ministério Público Federal quanto o Ministério Público Estadual acolheram denúncias e representações contra o prefeito por improbidade administrativa, em virtude dos desvios de R$ 9,6 milhões do Programa Saúde da Família. Sem falar nas suspeitas de fraude nos editais do Programa Sócio Ambiental, em que agentes públicos da confiança do prefeito estão envolvidos e sendo investigados. O fantasma da corrupção ronda o governo Fogaça!"

Abandono: "Frente ao abandono do atual prefeito da cidade, José Fogaça, - que deixa o cargo para disputar o governo do Estado - ficou decidido que a sigla irá cobrar o abandono desses serviços. Sabemos que é um direito constitucional do prefeito abandonar a prefeitura, mas também é um direito do cidadão exigir melhorias para o município. Pois é a vontade popular que, em uma democracia, premia ou sanciona os seus governantes e representantes ".

Cobrança: "Estamos inconformados com esta situação. Vamos continuar cobrando da administração os serviços básicos, debitando este abandono na conta do prefeito que sai, na expectativa de que o novo gestor José Fortunati (PDT) resolva as questões básicas da população de Porto Alegre", afirma o presidente municipal do PT, vereador Adeli Sell. Ele acrescenta ainda que se "não fossem os investimentos de mais de 4 bilhões de reais do governo federal, a situação de Porto Alegre estaria muito pior depois desses 5 anos de governo Fogaça".

*Com Tatiana Feldens, da Asscom - PTPOA

(Atualizado às 22,27 h do dia 29/03/2010)

Mulheres




As políticas públicas para as mulheres no governo Lula

Porto Alegre/RS - A ministra da Secretaria de Políticas para as Mulheres, Nilcéa Freire (foto), fez um balanço das políticas públicas para as mulheres no governo Lula e apontou os desafios impostos à luta de gênero. Na noite desta sexta-feira (26), ela foi a convidada especial de mais uma rodada do encontro “Diálogos RS”, promovido pelo PT. O debate aconteceu na Câmara Municipal, em Porto Alegre, e teve como foco as políticas públicas de gênero e a experiência do governo Lula.

O encontro contou com as presenças do presidente municipal do PT, Adeli Sell, das vereadoras Sofia Cavedon e Maria Celeste, do vereador Carlos Todeschini, e das deputadas Maria do Rosário e Emília Fernandes, além das militantes petistas.

Nilcéa disse que a Lei Maria da Penha e o Pacto de Enfrentamento à Violência são os grandes marcos do combate à violência contra as mulheres. Além disso, ressaltou o êxito da parceria com o Programa Nacional de Segurança Pública com Cidadania. “O Pronasci é um exemplo muito vivo das mudanças no governo Lula. Trabalhamos temas como o protagonismo das mulheres, a qualificação da política penitenciária, as condições dos direitos humanos das mulheres em situação de prisão e construímos a política de enfrentamento ao tráfico”, sublinhou.

Em 2010, a ministra quer impulsionar a campanha “Mais mulheres no poder” e empenhar-se para aprovar o projeto que trata da igualdade das mulheres no mundo do trabalho. Ela lembrou ainda que a Secretaria foi criada para dialogar e implementar políticas para todas as mulheres brasileiras e que o trabalho visa a garantir mais autonomia e reduzir os índices de violência contra as mulheres brasileiras.

As petistas aproveitaram a visita da ministra Nilcéa para lançar o blog http://secretariademulheres.blogspot.com/ e divulgar o Encontro Estadual das Mulheres do PT, que acontece no dia 10 de abril, no City Hotel, e no dia 11 de abril, no auditório Dante Barone da Assembléia Legislativa, na capital gaúcha.

As inscrições podem ser feitas pelo blog. O ex-ministro Tarso Genro e a ministra Dilma Rousseff são convidados de honra do Encontro, que aprofundará o debate sobre as políticas públicas para as mulheres a fim de ser incorporado ao programa do PT. (Por Stella Máris Valenzuela, do sítio PTSul).

*Fonte: http://www.ptsul.com.br/

28 março 2010

Sollus...















*Fogaça 'In Concert' - via Sátiro-Hupper

(Clique na imagem para ampliar)

FSP: desespero & manipulação...





Quem acredita na FSP (Força Serra Presidente)?

Emir Sader* escreve:

Menos de duas semanas depois de ter que se render às inquestionáveis tendências de subida da candidatura da Dilma e de estagnação e até mesmo descenso da de Serra, a FSP (Força Serra Presidente) se apressou em fazer uma nova pesquisa, que nem esperou a tradicional divulgação de domingo, saindo no sábado.

Sem que nenhum fato político pudesse explicar, fizeram o que se imaginaria que um adepto da campanha serrista faria: levantar o ânimo depressivo da campanha opositora, tentando evitar o anti clímax do lançamento no dia 10 de abril da candidatura do Serra.

A manipulação – que já havia estado presente na não qualificação de empate técnico na diferença de 4 pontos – agora se revela abertamente. A FSP (Forca Serra Presidente) faz parte da direção da campanha do Serra e qualquer divulgação de pesquisa tem que ser caracterizado como manobra da campanha opositora.

Quem acredita na FSP (Forca Serra Presidente), depois de tudo que tem feito, desesperadamente, particularmente nestes últimos tempos, em que tiveram que abandonar a postura de aparente segurança na vitoria do seu colunista, o atual governador de São Paulo (ex presidente da UNE e ex prefeito de Sáo Paulo, ambos cargos abandonados por ele sem concluir o mandato), para se jogar, já sem nenhum escrúpulo, na campanha serrista?

Quem acredita no jornal que emprestou seus carros para dar cobertura à repressão da ditadura militar? Quem acredito no jornal que anunciou que haveria dezenas de milhões de vitimas da gripe suína no Brasil? Quem acredita no jornal que divulgou ficha falsa da Dilma? Quem acredita no jornal que publicou na primeira pagina artigo de suposto psicanalista acusando o governo de ter assassinado (sic) a mais de cem pessoas no acidente da TAM em Congonhas?

Quem acredita na FSP (Forca Serra Presidente), dirigida pelo filho do proprietário e não por nenhum tipo de eleição publica e democrática? Quem acredita em quem dirige o jornal porque é Frias Filho, filho do dono e não por algum tipo de mérito próprio que pudesse ter?

Quem acredita na FSP (Forca Serra Presidente) se o candidato que apóiam é colunista permanente do jornal, circula pela redação como se fosse sua casa, indica jornalistas vinculados a ele para cargos do jornal – como a diretora da redação de Brasilia, colunista da página 2, indicada por ele, conforme declaração de membro do Comite Editorial do jornal?

Como acreditar na FSP (Forca Serra Presidente) se se transformou no Diario Oficial Tucano (DOT), partido da direita brasileira, que dirigiu catastroficamente o país durante 8 anos – tendo mudado a Constituicao durante seu mandato para se beneficiar, com a compra de votos de parlamentares -, com todo o apoio desse jornaleco da Barão de Limeira?

Quem ainda acredita na FSP (Forca Serra Presidente)? Como se fez campanha no Chile, com Allende, contra o correspondente dessa imprensa no Chile, com o lema EL MERCURIO MIENTE, aqui devemos espalhar por todas partes, sobre a FSP (Forca Serra Presidente) e sobre seus congêneres, plásticos e toda forma de divulgação com o lema:

A FOLHA MENTE
O GLOBOMENTE
A VEJA MENTE
O ESTADAO MENTE.
Porque A DIREITA MENTE.

*Sociólogo, professor universitário.

Fonte: Blog do Emir - http://www.cartamaior.com.br/

26 março 2010

Notícias do Brasil



*Ney Matogrosso - Notícias do Brasil (Milton Nascimento/Fernando Brandt)

Saúde, demagogia e 'esquecimento'...


















PSDB-DEM-PPS é que extinguiram a CPMF


José Dirceu escreve:

Em evento nessa 5ª feira em Tatuí (SP), presentes o presidente Lula e a sua candidata à sucessão, ministra Dilma Rousseff, o governador tucano de São Paulo, José Serra, o nome da oposição (PSDB-DEM-PPS) na disputa pelo Planalto, supreendeu ao fazer de forma franca, mas não sincera nem completa, a defesa de melhorias no sistema de saúde brasileiro.

Por ter sido ministro da Saúde durante quatro anos do governo Fernando Henrique (e outros quatro, do Planejamento) Serra julgou oportuno aproveitar a presença de público e de toda a mídia para afirmar: "Temos que aperfeiçoar o nosso sistema de saúde, torná-lo cada vez melhor, com atendimento de primeira classe. Podemos ter em avião primeira, segunda e classe turista, mas não ter na saúde serviços de primeira e de segunda classes. Saúde tem que ser de primeira classe para todo mundo e esse é um trabalho que nós estamos perseguindo".

O presidente Lula o rebateu na hora. "Fiquei muito magoado e ofendido quando a minha oposição no Senado derrubou a CPMF. Eu não conheço um empresário no Brasil que reduziu do custo do seu produto 0,38%, que é o que a gente pagava no (imposto CPMF) cheque. Quem quer que seja o presidente da República depois de mim vai ter que discutir mais dinheiro para a saúde. Não tem alternativa. Não é possível fazer saúde neste país sem dinheiro. Custa caro".

Tucanato quer apagar FHC da história


Serra supreendeu pela forma de sua cobrança e por ela não ser completa, por dar apenas o diagnóstico e não o remédio para atenuar os problemas de Saúde. E ele não o fez porque foi a oposição - o ex-PFL-DEM à frente e o seu PSDB - que extinguiu no Congresso Nacional, na virada de 2007/2008 a CPMF retirando de uma só vez e de forma implacável R$ 40 bilhões do orçamento anual da Saúde.

Surpresa maior - mas, essa no campo político - só mesmo a decisão do tucanato de esconder o ex-presidente FHC na festa em que Serra será lançado candidato ao Planalto no próximo dia 10, em Brasília.Por decisão do partido, o ex-presidente já está fora da lista de oradores e não poderá discursar no evento.

FHC terá de se conformar que, na campanha, não poderá colocar o pé em um palanque nem falar. O tucanato teme que se o fizer dará pretexto a que o PT e a candidata Dilma Rousseff comparem o governo Lula ao seu. Esse é o maior pânico que os tucanos têm nessa disputa eleitoral.

Mas, a decisão é um atentado à memória do país. FHC é o uníco ex-presidente nos quadros do PSDB. Retirá-lo, assim, de toda a trajetória do tucanato é uma falsificação histórica sem precedentes no Brasil. É preciso respeito com a história e até numa crítica como essa feita à área de Saúde - sem lembrar à população quem extinguiu a CPMF - demagogia tem limites.

*Do Blog do Zé Dirceu - http://www.zedirceu.com.br/

25 março 2010

O que realmente está em jogo...
















As hipóteses de 2010

Wladimir Pomar escreve:

Desenvolver empresas estatais, dar força econômica à pequena burguesia industrial e dos serviços, expandir a pequena burguesia agrícola, ampliar a força social dos trabalhadores assalariados das cidades e dos campos e estimular sua participação social e política, num contexto em que parte do governo rema contra esses esforços, e em que, em sua maioria, o aparato do Estado é contrário, não é uma missão fácil.

É verdade que, em alguns terrenos, o governo Lula poderia ser mais audacioso do que vem sendo. Ele poderia criar mecanismos governamentais mais eficazes para apoiar e estimular as micro e pequenas empresas industriais e de serviços. E poderia ser mais criativo no assentamento dos lavradores sem terra nos 90 milhões de hectares dos latifúndios improdutivos.

No entanto, isso não depende apenas dele. Depende, em grande medida, do PT, demais partidos socialistas, sindicatos e movimentos sociais democráticos e populares se voltarem com mais ênfase a organizar os trabalhadores e camadas populares em torno de seus interesses imediatos e de longo prazo. E depende de que essa organização da base social se movimente para pressionar a burguesia a dividir o espaço na sociedade, no governo e no Estado.

É essa pressão que pode fazer com que a harmonização de contrários, praticada pelo governo, funcione como política de acumulação de forças para contrabalançar-se à hegemonia das classes dominantes. Isto vai ser especialmente importante quando os contrários entrarem em rota de colisão na disputa entre seus interesses não-comuns. Será nesse momento que as teses de que o governo Lula tem hegemonia sobre as forças populares ou está sob o comando da grande burguesia sofrerão seu teste decisivo.

Até o momento, o governo Lula parece ter uma maioria política capaz de vencer as eleições de 2010 e manter o projeto de desenvolvimento e integração soberana na globalização capitalista. No entanto, a pauta do programa de críticas ao governo Lula, aparentemente pela esquerda, mostra que a disputa pode ser mais complexa do que parece.

O social-liberalismo tucano, que se esconde sob o manto de uma social-democracia envergonhada, sustenta que seu candidato, caso eleito, não vai retornar à privataria descarada nem à financeirização desbragada que marcou o governo FHC. Segundo porta-vozes não autorizados, Serra deve manter o mesmo projeto de Lula, apenas com modulação diferente. O elogio retardado de Serra a Lula e a tentativa de separar o governo Lula da candidata Dilma mostram que a oposição vai se pautar pela tentativa de não discutir a natureza dos programas de ambos.

Além disso, há um grande esforço intelectual, de mídia e de propaganda explícita para demonstrar que Dilma e Serra são muito parecidos, tendo a mesma visão de mundo. Há quem diga que, se houvesse uma reorganização política, ambos estariam no mesmo partido. Eles seriam a expressão de pessoas que não existiriam mais na política brasileira, gente compromissada com o Brasil e que poderia ser enquadrada no conceito inglês de servidor público.

O que não impede Serra de manobrar para destruir a candidata do PT pelas bordas, estimulando a candidatura Marina Silva, que num primeiro momento arrastou intelectuais católicos e progressistas - e possivelmente boa parte da esquerda que critica o governo Lula. Nem de que o saco de maldades de denúncias envolvendo figuras do PT já esteja com munição suficiente para alimentar a mídia marrom.

Paradoxalmente, a parte da esquerda que está servindo de massa divisionista de manobra para Serra não sabe se ainda é possível um projeto nacional popular no Brasil. Acredita que esse projeto teria sido derrotado, supostamente após ter sido descaracterizado pelo PT e pelo governo Lula, no poder. Nessas condições, embora afirme que a Consulta Popular é o único ator político que retoma o debate sobre um projeto de tal tipo, prefere apostar na promessa tucana, ou em seu derivativo Marina.

O que mostra o quanto há de gente que, mesmo diante da banda passando, não consegue enxergar os passistas, nem ouvir a música. E não sabe o que realmente está em jogo em 2010.

*Wladimir Pomar
é analista político e escritor.

**Fonte: Correio da Cidadania

Foto: Dilma Roussef (PT) e José Serra (PSDB)

24 março 2010

Dois pesos, duas medidas...













Justiça apreende boletim do PT e ignora propaganda do PMDB e da Força Sindical

Do blog RS Urgente: A Justiça Eleitoral do Rio Grande do Sul mandou apreender uma publicação do PT de Porto Alegre contendo críticas ao governo José Fogaça (PMDB). O desembargador Marco Aurélio dos Santos Caminha, do Tribunal Regional Eleitoral (TRE) determinou uma ação de busca e apreensão (realizada na tarde de terça-feira) nas sedes municipal e estadual do PT e também na bancada do partido na Câmara de Vereadores de Porto Alegre. O boletim informativo do PT trata das denúncias da Polícia Federal e do Ministério Público Federal sobre a ação de um esquema criminoso na Secretaria Municipal da Saúde, que teria desviado cerca de R$ 10 milhões do Programa Saúde da Família. A Justiça Eleitoral considerou o material, propaganda eleitoral antecipada.

Estranhamente, a mesma Justiça Eleitoral não considerou como propaganda eleitoral antecipada o boletim informativo do PMDB, que trata do mesmo tema, defendendo o governo Fogaça. O site do PMDB de Porto Alegre informa que começou a ser distribuído na terça-feira a edição extraordinária do Jornal Metropolitano, “com enfoque na Verdade sobre a saúde em Porto Alegre”. Nesta quarta-feira, o jornal estava sendo distribuído no Hospital de Clínicas, entre outros locais. Até o presente momento, a Justiça Eleitoral também não considerou propaganda eleitoral antecipada os comerciais em defesa do governo Fogaça veiculados pela Força Sindical em rádios da capital.

Aparentemente, a propaganda só é eleitoral e antecipada se for do PT.

*Fonte: http://rsurgente.opsblog.org/

**Foto: Fogaça e Yeda

***

PRESIDENTE DO PT/POA, VEREADOR ADELI SELL, ESTRANHA E LAMENTA AÇÃO DO TRE

A propósito da ação do TRE, o vereador Adeli Sell, presidente do PT de Porto Alegre, segundo release divulgado por sua assessoria, usou a Tribuna da Câmara Municipal no dia de hoje para colocar o seu profundo estranhamento acerca da apreensão do jornal do Partido e da Bancada, realizada pelo TRE, com base numa provocação feita pelo PMDB.

Adeli estranha que, apesar da apreensão, até o momento não recebeu qualquer notificação legal. Houve apenas uma nota deixada na bancada, na qual era dito que estaria sendo cometida injuria e difamação contra o Prefeito.

"Então, o Ministério Público e a Polícia Federal devem sofrer a mesma ação, porque em ambas instituições estão com processos em curso, e é exatamente isto o que noticiamos", diz Adeli.

Em junho de 1998 já ocorrera fato semelhante, quando o então presidente municipal do PT Marcelo Danéris e o Diretório do Partido do Trabalhadores foram condenados, em primeira instância, ao pagamento de 20 mil UFIRS, por publicação de material considerado propaganda eleitoral extemporânea. No dia 11 deste mês, a preliminar foi rejeitada por unanimidade, sendo a denúncia considerada improcedente.

(Atualizado às 9,45 h de 25/04/2010)

Ato em Porto Alegre/RS














*É hoje, às 17h, em frente à Prefeitura.

23 março 2010

Pesquisa Inst. Methodus












Tarso lidera corrida para o Governo do Estado

Candidato do PT chega a 37,6% na pesquisa estimulada

O Instituto Methodus divulgou hoje sua mais recente pesquisa eleitoral para as eleições deste ano no RS. Na pesquisa estimulada (1) para o governo do Estado, Tarso Genro (foto) tem 37,1%, José Fogaça aparece com 31,4%, Yeda Crusius com 9,7% e Beto Albuquerque com 8,7%. Na estimulada (2), com a presença de Luis Augusto Lara (PTB), os números pouco mudam: Tarso tem 37,6%, Fogaça 30,9%, Yeda 9,7% e Beto 8,5%. Lara aparece com 0,9% das intenções de voto. Na pesquisa espontânea José Fogaça (PMDB) tem 7,3% de intenção de voto, Tarso Genro (PT) 6,2% e Yeda Crusius (PSDB) tem 4,0%. Beto Albuquerque (PSB) aparece com 1,7%.

Rejeição: A governadora Yeda Crusius aparece como a mais rejeitada com 55%, Tarso aparece com 13,8% e Fogaça com 8,1%.

Para o Senado: Germano Rigotto (PMDB) aparece com 49,8%, Paulo Paim (PT) com 46,4% e Ana Amélia Lemos (PP) com 33,5%.

Na pesquisa espontânea para presidência da República, José Serra (PSDB) aparece com 12,7%, seguido de Dilma Rousseff (PT), com 10,1% e pelo Presidente Lula, com 9,7%. Na estimulada, Serra tem 41,6%, contra 25,6% de Dilma e 12,5% de Ciro Gomes (PSB) .

O levantamento foi feito em 25 cidades gaúchas, entre os dias 18 e 19 de março, e contou com a participação de mil eleitores. A margem de erro máxima, segundo o Instituto, é estimada em três pontos percentuais para mais ou para menos. Esta pesquisa, encomendada pelo PSB/RS, está registrada no TSE sob número 6211/2010 e no TRE do RS sob número 4735/2010.

*Fonte: Instituto Methodus: http://institutomethodus.com.br/

22 março 2010

Dia da Água



















Água Cristalina

Benfazeja
água pura
caindo das alturas
sobre a relva.

Revigora o corpo
excita a alma
acalenta
estimula
(refrigera).

Água da terra
água da chuva
água do rio
água do mar
(água da Vida)...

Necessária
benévola
cristalina
água limpa
transparente
brotando vigorosa
(virgem)
da vertente

caindo do infinito
lubrificando
refrigerando
nos vales
na serra
a calidez
da terra
a morbidez
(algoz)

Benfazeja
água pura
cristalina
caindo das alturas
(divina)
sobre nós...

Júlio Garcia
(Do livro Cara & Coragem-Poemas-1995)

*Homenagem do blog ao Dia Mundial da Água

Professores X Serra













Em busca de reconhecimento e identidade: A greve na Educação Pública no estado de São Paulo

*Por Wellington Fontes Menezes

Para que a mobilização atinja o êxito necessário, é fundamental a adesão massiva dos professores nesse processo. Naturalmente, ampliando o número de participantes que engrossa a fileira da paralisação, o governador José Serra e seu fiel amigo e secretário da Educação, Paulo Renato, não terão como continuar a saraivada de deboches irresponsáveis contra a categoria docente. Serra vem praticando o jogo do "faz-de-conta que não existe" com a greve dos professores do estado de São Paulo e se recusa peremptoriamente a negociar. Um cínico teste de resistência que o governo aplica para medir a capacidade de mobilização dos professores.

A grande participação dos professores na assembléia do dia 12 de março mostrou a face da indignação da categoria. É pertinente ressaltar que somente a mobilização dos professores e o esclarecimento da população sobre a pauta de reivindicação da categoria poderão garantir fôlego para continuar a manutenção da greve e sua crescente ampliação. Sublinha-se ainda que, muito além de uma óbvia reivindicação salarial, a luta urgente e inadiável deverá ser por um novo modelo de Educação Básica.

A Secretaria da Educação do Estado de São Paulo (SEE-SP), assim como o próprio governador Serra, zombam dos professores dizendo que a greve é "política" e realizada por um punhado de descontentes. Como se não fosse "político" o descaso irresponsável dos tucanos com a Educação. E como não ser "político" o ato natural de gritar pela sobrevivência? Como não é de causar estranheza o falso modelo de democratização da informação aonde toda a grande mídia vem apoiando as nefastas políticas neoliberais, estampando passivamente em seus jornais e noticiários televisivos a versão governamental sem os mínimos critérios que mereceria qualquer denominação vulgar de "jornalismo democrático". A deturpação esboçada em perdulárias campanhas publicitárias do governo falseia a realidade e logra a boa-fé e desinformação de números expressivos da população.

Obviamente, toda grave é profundamente política. Assim como todas as decisões dos atores sociais possuem raízes essencialmente políticas. Portanto, todo movimento político não é passível de terceirização ou de se tornar espectador das decisões na cômoda arquibancada. Cada professor é um militante nesta batalha pela dignidade profissional e auto-estima de sua própria condição humana.

Toda alienação permite a virulenta eclosão de espasmos ininterruptos de opressão, despotismo e barbárie. É muito fácil fingir a aneurisma profissional, incutir um olhar rasteiro para os lados ou recitar os velhos chavões da passividade irresponsável do inútil reacionarismo. A alienação engrossa a fileira da miséria humana. Enquanto muitos professores, de forma ingênua ou resignada, acreditam que seja "normal" trabalhar em condições subumanas, de violência cotidiana e precariedade alarmante com uma remuneração cada vez mais irrisória e defasada, o sistema educacional sistematicamente gangrena e apodrece. Para o professor que se julga "profissional", cabe participar do cenário de decisões sobre duas distintas saídas: submeter-se à ordem da calamidade educacional patrocinada há anos por sucessivas gestões acéfalas do PSDB ou lutar por reconhecimento de sua própria identidade e sua condição de existência.

Um movimento grevista não é o fim, mas tão somente um meio de lutar pela construção de um espaço reivindicatório de sobrevivência diante da arbitrariedade. Infelizmente, diante do impasse promovido pelos governos do PSDB e a notória falta de compromisso histórico com a Educação pública no estado de São Paulo, não há outro meio de pressão democrático, digno e persuasivo a não ser a continuidade da greve. Uma greve cujo objetivo é a sobrevida da categoria docente em prol de um novo modelo educacional. Sem direito a recuos ou desistências, a ordem é a ampliação do poder transformador que somente a mobilização popular pode construir no interior de qualquer sociedade.

*Wellington Fontes Menezes é professor da rede pública do Estado de São Paulo.

Fonte: Correio da Cidadania

Foto: Manifestação recente dos professores paulistas em greve.

20 março 2010

Poema











OS DESAPARECIDOS


De repente, naqueles dias, começaram
a desaparecer pessoas, estranhamente.
Desaparecia-se. Desaparecia-se muito
naqueles dias.

Ia-se colher a flor oferta
e se esvanecia.
Eclipsava-se entre um endereço e outro
ou no táxi que se ia.
Culpado ou não, sumia-se
ao regressar do escritório ou da orgia.
Entre um trago de conhaque
e um aceno de mão, o bebedor sumia.
Evaporava o pai
ao encontro da filha que não via.
Mães segurando filhos e compras,
gestantes com tricots ou grupos de estudantes
desapareciam.
Desapareciam amantes em pleno beijo
e médicos em meio à cirurgia.
Mecânicos se diluiam
- mal ligavam o tôrno do dia.

Desaparecia-se. Desaparecia-se muito
naqueles dias.
Desaparecia-se a olhos vistos
e não era miopia. Desaparecia-se
até a primeira vista. Bastava
que alguém visse um desaparecido
e o desaparecido desaparecia.
Desaparecia o mais conspícuo
e o mais obscuro sumia.
Até deputados e presidentes esvaneciam.
Sacerdotes, igualmente, levitando
iam, arefeitos, constatar no além,
como os pescadores partiam.

Desaparecia-se. Desaparecia-se muito
naqueles dias.
Os atores no palco
entre um gesto e outro, e os da platéia
enquanto riam.
Não, não era fácil ser poeta naqueles dias.
Porque os poetas, sobretudo
- desapareciam.
Se fosse ao tempo da Bíblia, eu diria
que carros de fogo arrebatavam os mais puros
em mística euforia. Não era. É ironia.
E os que estavam perto, em pânico, fingiam
que não viam. Se abstraíam.
Continuavam seu baralho a conversar demências
com o ausente, como se ele estivesse ali sorrindo
com suas roupas e dentes.

Em toda família à mesa havia
uma cadeira vazia, a qual se dirigiam.
Servia-se comida fria ao extinguido parente
e isto alimentava ficções
- nas salas e mentes
enquanto no palácio, remorsos vivos boiavam
- na sopa do presidente.
As flores olhando a cena, não compreendiam.
Indagavam dos pássaros, que emudeciam.
As janelas das casas, mal podiam crer
- no que viam.
As pedras, no entanto,
gravavam os nomes dos fantasmas
pois sabiam que quando chegasse a hora,
por serem pedras, falariam.

O desaparecido é como um rio:
- se tem nascente, tem foz.
Se teve corpo, tem ou terá voz.
Não há verme que em sua fome
roa totalmente um nome. O nome
habita as vísceras da fera
Como a vítima corrói o algoz.

E surgiam sinais precisos
de que os desaparecidos, cansados
de desaparecerem vivos
iam aparecer mesmo mortos
florescendo com seus corpos
a primavera de ossos.

Brotavam troncos de árvores,
rios, insetos e nuvens em cujo porte se viam
vestígios dos que sumiam.

Os desaparecidos, enfim,
amadureciam sua morte.

Desponta um dia uma tíbia
na crosta fria dos dias
e no subsolo da história
- coberto por duras botas,
faz-se amarga arqueologia.

A natureza, como a história,
segrega memória e vida
e cedo ou tarde desova
a verdade sobre a aurora.

Não há cova funda
que sepulte
- a rasa covardia.
Não há túmulo que oculte
os frutos da rebeldia.
Cai um dia em desgraça
a mais torpe ditadura
quando os vivos saem à praça
e os mortos da sepultura.

Affonso Romano de Sant'Anna

19 março 2010

Benesses escandalosas










Yeda indica Lemos (PMDB), atual presidente do Banrisul, para o TJM. PT questiona.

Deputado Raul Pont defende suspensão de indicação de Lemos até a conclusão de inspeção extraordinária no Banrisul

Porto Alegre/RS - Do sítio PTSul - O vice-líder da bancada do PT na Assembleia Legislativa defende a suspensão da indicação de Fernando Lemos para Tribunal de Justiça Militar até a conclusão da inspeção extraordinária promovida pelo Tribunal de Contas do Estado no Banrisul, a pedido do Ministério Público de Contas. Segundo o deputado Raul Pont (foto), Lemos dirigiu o Banrisul de forma temerária, tornando a instituição alvo de investigação e processos administrativos, movidos por órgãos de fiscalização e controle. “A governadora continua agraciando de forma questionável os seus aliados. Desta vez, o prêmio ultrapassa a casa dos R$ 22 mil por mês e tem caráter vitalício”, denuncia o parlamentar.

Pont alerta, ainda, para a existência de uma Proposta de Emenda Constitucional em tramitação no Legislativo, encaminhada pelo Tribunal de Justiça, extinguindo o TJM e de uma Ação Direta de Inconstitucionalidade no Supremo Tribunal Federal questionando a constitucionalidade do órgão. “Trata-se de uma instituição anacrônica, que serve apenas de cabide de empregos para os aliados do governo. A nomeação de Lemos, cuja trajetória profissional, ao que se sabe, não tem qualquer relação com este órgão, só reforça a necessidade de extingui-lo”, aponta.

O líder petista afirma também que o “prêmio ao presidente do Banrisul” pelos serviços prestados à governadora soa como um acinte às categorias que estão na base da pirâmide salarial do funcionalismo e que correm o risco de, novamente, ficar sem reajuste em 2010. O parlamentar se refere ao magistério, que até agora não recebeu nenhuma proposta do Executivo. “No mesmo dia em que distribui benesses escandalosas aos aliados, o governo tucano reapresenta uma proposta já rejeitada pelo magistério. O recado não pode ser mais claro, ou seja, o governo Yeda não quer negociar com os professores gaúchos, que detêm os menores contracheques do País”, finaliza. (Por Olga Arnt)

*Edição deste blog

18 março 2010

'Dupla moral'














Cuba, Israel e a dupla moral

'Ao contrário do que ocorreu em relação a Cuba, não há uma só matéria ou discurso relevante, nos veículos de imprensa mais destacados do país, sobre como Israel, novo destino do presidente brasileiro, trata seus presos, suas minorias nacionais e seus vizinhos.'

*Por Breno Altman

Tem sido educativo acompanhar, nos últimos dias, a cobertura internacional dos meios de comunicação, além da atitude de determinadas lideranças e intelectuais. Para quem quiser conhecer o caráter e os interesses a que servem alguns atores da vida política e cultural, vale a pena prestar atenção ao noticiário recente sobre Cuba e Israel.

Na semana passada, em função de declarações do presidente Lula defendendo a autodeterminação da Justiça cubana, orquestrou-se vasta campanha de denúncias contra suposto desrespeito aos direitos humanos na ilha caribenha. Mas não há uma só matéria ou discurso relevante, nos veículos mais destacados, sobre como Israel, novo destino do presidente brasileiro, trata seus presos, suas minorias nacionais e seus vizinhos.

Vamos aos fatos. No caso cubano, Orlando Zapata, um pretenso “dissidente” em greve de fome po r melhores condições carcerárias, preso e condenado por delitos comuns, foi atendido em um hospital público por ordem do governo, mas não resistiu e veio a falecer. Não há acusação de tortura ou execução extralegal. No máximo, insinuações oposicionistas de que o atendimento teria sido tardio – ainda que se possa imaginar o escândalo que seria fabricado caso o prisioneiro tivesse sido alimentado à força.

Mesmo não havendo qualquer evidência de que a morte do dissidente, lamentada pelo próprio presidente Raúl Castro, tenha sido provocada por ação do Estado, os principais meios e agências noticiosas lançaram-se contra Cuba com a faca na boca. Logo a seguir o Parlamento Europeu e o governo norte-americano ameaçaram o país com novas sanções econômicas. (...)

*Leia a íntegra do artigo do jornalista Breno Altman, publicado originalmente no sítio Carta Maior, Clicando Aqui

Fogaça irá responder?








*Mini outdoor da Campanha em Defesa da Saúde
de Porto Alegre. (Clique na imagem para ampliar).

17 março 2010

Serra estagnado também no Ibope













Pesquisa CNI/Ibope: Serra cai, Dilma encosta e lidera pesquisa espontânea

Saiu hoje a nova pesquisa CNI/Ibope sobre as intenções de voto para presidente da República. A pesquisa foi realizada entre 6 e 10 de março. Foram entrevistadas 2.002 pessoas em 140 municípios. A margem de erro é de dois pontos percentuais para mais ou para menos.
José Serra (PSDB) continua na frente com 35% da preferência do eleitorado. Mas a ministra da Casa Civil, Dilma Rousseff (PT), sobe e encosta: ela tem 30%. O deputado federal Ciro Gomes (PSB-CE) tem 11%. A senadora Marina Silva (PV-AC) aparece com 6%.

Na pesquisa espontânea, o Presidente Lula é o mais lembrado (20%), seguido por Dilma Rousseff (14%) e José Serra (10%). A matéria é assinada pela jornalista Conceição Lemes, do blog Vi o Mundo. Para ler a matéria na íntegra, Clique Aqui

16 março 2010

Pergunta para o prefeito José Fogaça:



*Onde estão os R$ 10 milhões surrupiados da Saúde de Porto Alegre?

(Créditos do vídeo acima: Blog Buracos da Baltazar)

15 março 2010

A nova ofensiva do PiG*













A mídia e a 'Tempestade no Deserto'

Por Rodrigo Vianna, do Blog o Escrivinhador:

Mauro Carrara escreve sobre uma operação que, claramente, já está em curso.

Passado o Carnaval, os setores ligados aos tucanos - na grande mídia - se desesperaram. A sequência de notícias ruins para eles, desde o fim do ano passado, é impressionante: enchentes em São Paulo, Arruda preso, o DEM desmoralizado, o PSDB sem discurso diante da recuperação da economia. Para completar: Serra caiu e Dilma subiu nas pesquisas.

A oposição ao governo Lula bateu os tambores no convescote organizado pelo Instituto Millenium. Ao perceber que os partidos anti-Lula caminhavam para a anomia, os donos da mídia assumiram o controle da oposição. E as manchetes, capas e títulos distorcidos se avolumam.

É guerra. É a tempestade no deserto - como explica Mauro no texto abaixo..

Pesquisa IBOPE saiu a campo (coincidência, em se tratando do IBOPE?) na última semana, em meio à tempestade de manchetes anti-governistas. Resultado deve ser divulgado nos próximos dias, pela CNI.

Toda a esperança dos tucanos da mídia é que Serra tenha conseguido estancar a sangria dos votos. Aparentemente, não conseguiu. Há informações de que Dilma já aparece (numericamente) à frente de Serra, apesar de a situação (ainda) caracterizar empate técnico: leia sobre isso no Vermelho - http://www.vermelho.org.br/noticia.php?id_noticia=125750&id_secao=1.

Nos próximos meses, entraremos num ritmo frenético, parecido com o de 2005 - quando setores da mídia tentaram derubar Lula. Agora, sabem que não podem derrubá-lo. Mas bastaria a eles arranhar a imagem do PT, e vender a idéia de de que "Lula a gente tolerou, mas Dilma - a terrorista - não vai chegar lá".

Ninguém pode ser ingênuo. Essa campanha está articulada a interesses internacionais. Não do núcleo do governo de Obama, mas de setores da extrema-direita dos EUA que seguem alojados na máquina de governo em Wasgington, e que assumiram a tarefa de barrar a "subversão" na América Latina. Essa gente da mídia no Brasil é articulada com o que há de mais reacionário nos EUA.

A guerra será violenta - como diz o Mauro Carrara, abaixo. Fiquem com o texto dele...
===

Operação “Tempestade no Cerrado”: o que fazer? - por Mauro Carrara

(O PT é um partido sem mídia... O PSDB é uma mídia com partido).

“Tempestade no Cerrado”: é o apelido que ganhou nas redações a operação de bombardeio midiático sobre o governo Lula, deflagrada nesta primeira quinzena de Março, após o convescote promovido pelo Instituto Millenium.
A expressão é inspirada na operação “Tempestade no Deserto”, realizada em fevereiro de 1991, durante a Guerra do Golfo.
Liderada pelo general norte-americano Norman Schwarzkopf, a ação militar destruiu parcela significativa das forças iraquianas. Estima-se que 70 mil pessoas morreram em decorrência da ofensiva.
A ordem nas redações da Editora Abril, de O Globo, do Estadão e da Folha de S. Paulo é disparar sem piedade, dia e noite, sem pausas, contra o presidente, contra Dilma Roussef e contra o Partido dos Trabalhadores.
A meta é produzir uma onda de fogo tão intensa que seja impossível ao governo responder pontualmente às denúncias e provocações.
As conversas tensas nos "aquários" do editores terminam com o repasse verbal da cartilha de ataque. (...)

Para ler a matéria na íntegra, Clique Aqui

*PiG: Partido da Mídia Golpista

12 março 2010

O Que Será?



*Chico Buarque & Milton Nascimento - O Que Será? - 1976

Graves denúncias sobre desvios na Saúde de Porto Alegre

Boletim Informativo do Diretório Municipal e da Bancada de Vereadores do PT da capital gaúcha denuncia o prefeito José Fogaça (PMDB) por omissão e improbidade administrativa. Leia a seguir.

11 março 2010

Caso Sollus

















Representação no Ministério Público Federal pede Ação de Improbidade Administrativa contra o prefeito de Porto Alegre

Na tarde dessa quinta-feira, 11, a bancada de vereadores do PT na Câmara Municipal de Porto Alegre protocolará representação no Ministério Público Federal pedindo a responsabilização do prefeito de Porto Alegre, José Fogaça (PMDB), por ato de improbidade administrativa.

Na peça, que será entregue ao Procurador-Chefe da Procuradoria-Geral da República – 4ª Região e à Procuradoria de Justiça do Ministério Público Estadual do RS, estão apontadas todas as falcatruas ocorridas no processo de contratação e de prestação de serviço do Instituto Sollus, desde 2007, bem como anexados todos os documentos comprobatórios das fraudes.

Cópias da representação serão entregues, também, para a Polícia Federal e para o Conselho Municipal de Saúde. A bancada do PT espera que o MPF investigue a fundo as irregularidades e possa apontar os responsáveis pelos desvios, fazendo com que o dinheiro – cerca de R$ 9,6 milhões – retorne aos cofres públicos para melhorar a saúde da população porto-alegrense. A informação é oriunda da Assessoria de Imprensa da Bancada do PT na Câmara de Vereadores da capital e do blog Cloaca News.

*Para ler a matéria na íntegra, clique AQUI

09 março 2010

Contra a baixaria do PiG












PT vai à Justiça contra o PiG*

PT vai à Justiça contra mentiras, calúnias e agressões criminosas de Veja, Estadão e Blat


Nota do Partido dos Trabalhadores

É com perplexidade e absoluta indignação que o Partido dos Trabalhadores vem acompanhando a escalada de ataques mentirosos, infundados e caluniosos por parte de alguns órgãos da imprensa a partir de matéria sensacionalista publicada na última edição da revista Veja.

O mais absurdo desses ataques se deu hoje, terça-feira (9), quando o jornal O Estado de S.Paulo usou seu principal editorial para acusar o PT de ser “o partido da bandidagem” – extrapolando todos os limites da luta política e da civilidade sem qualquer elemento que sustente sua tese.

O PT tem uma incontestável história de lutas em defesa da democracia, da cidadania, da justiça e das liberdades civis. Nasceu dessas lutas, se consolidou a partir delas e, nos governos que conquistou, tem sido o principal promotor da idéia de um Brasil efetivamente para todos, com absoluto respeito às instituições democráticas, às regras do jogo político e ao direito fundamental à liberdade de opinião e expressão.

Para nós, a diversidade de opiniões é a essência não só da democracia, mas também do próprio PT. Devemos a essa característica, em grande parte, o sucesso de nosso projeto de país, cujo apoio majoritário da população se dá em oposição aos interesses da minoria que nos ataca.

Nem o PT nem a sociedade brasileira podem aceitar o baixo nível para o qual parte da mídia ameaça levar o embate político às vésperas de mais uma eleição presidencial. O Brasil não merece isso. A democracia não merece isso. A liberdade de imprensa, defendida pelo PT mais do que por qualquer outro partido, não merece que façam isso em nome dela.

O PT não entrará nesse jogo, no qual só ganham aqueles que têm pouco ou nenhum compromisso com a democracia. Mas buscará, pelas vias institucionais, a devida reparação judicial pelas infâmias perpetradas contra o partido e seus milhões de militantes nos últimos dias.

Acionaremos judicialmente o jornal o Estado de S.Paulo, pelo editorial desta terça, e a revista Veja, pela matéria que começou a circular no último sábado. Também representaremos no Conselho Nacional do Ministério Público contra o promotor José Carlos Blat, fonte primária de onde brotam as mentiras, as ilações, as acusações sem prova e o evidente interesse em usar a imprensa para se promover às custas de acusações desprovidas de qualquer base jurídica ou factual.

José Eduardo Dutra
Presidente Nacional do PT

*PiG - Partido da Imprensa Golpista

**Foto: José Eduardo Dutra, presidente nacional do PT

08 março 2010

Coluna C&A


















Crítica & Autocrítica – nº 65

* Pois quem diria, há sete meses das eleições de outubro, a candidatura da oposição de direita, os demo-tucanos, já está fazendo água. Até mesmo o jornal serrista Folha de São Paulo (ou melhor, quase ex-serrista, como avaliou o sociólogo Cristóvão Feil em recente artigo) está ‘perdendo o ânimo’ com seu candidato, que cai cada vez mais em cada pesquisa eleitoral que é divulgada, enquanto a intenção de voto na ministra Dilma não para de avançar. E Aécio Neves (MG), defenestrado meses atrás pela cúpula tucana, agora é paparicado, bajulado e ... pressionado a compor como vice, para tentar salvar a natimorta candidatura Serra. Mas já avisou: ‘não adianta empurrar’. Vai ao Senado por Minas, sem volta. Parece que José Serra vive mesmo um inferno astral – e político.

* Participei, neste sábado, em Porto Alegre (Casa dos Bancários), à convite do presidente do PT da capital, vereador Adeli Sell, de uma importante plenária que teve como objetivo discutir a organização na região metropolitana da pré-campanha de Tarso Genro ao governo do Estado. Deputados, vereadores, prefeitos e vices (ou representantes) e dirigentes do PT de todos os municípios da Grande Porto Alegre se fizeram presentes. Análise da conjuntura e diretrizes gerais foram discutidas, assim como as próximas ações. Logo após, Tarso (que estava de aniversário) deslocou-se para Caxias do Sul, para cumprir agenda na Festa da Uva.

* Recebi com satisfação, através do companheiro Ruben Finamor (membro da Executiva do PT de Santiago) convite para participar de um grande evento político no próximo dia 9 de Abril, organizado pelo PT municipal. O evento terá abrangência regional.

* O convite foi encaminhado também aos companheiros Paulo Ferreira (santiaguense e pré-candidato a deputado federal) e Júlio Quadros (pré-candidato a deputado estadual), bem como ao companheiro vereador Adeli Sell e a outros pré-candidatos, parlamentares e dirigentes do PT estadual.

* Outra importante informação enviada pelo Finamor (que vai ser o Coordenador-geral da dobrada Paulo Ferreira/Júlio Quadros na região) é de que o PT local criou um blog para intervir na globosfera terrunha. O endereço é: http://ptsantiagors.blogspot.com/

* Contribuições e sugestões para o blog do PT/Santiago deverão ser enviadas para o comp. Everton Gerhard, que coordena o mesmo. O e-mail dele é elargerhard@hotmail.com

* A propósito de falar em Santiago, minha terra natal, foi muito gratificante minha recente estada por lá, realizada agora no período de carnaval. Aproveitei para rever amigos, familiares, encaminhar assuntos profissionais e, para não perder o hábito, para fazer várias visitas e contatos políticos. Também fui convidado – e participei, com muito gosto – da primeira reunião da nova direção do PT local, que agora é presidida pelo ex-vereador Antônio Bueno, assim como de uma importante reunião da nova Regional do PT do Vale do Jaguari, realizada na Câmara Municipal de Vereadores. Na pauta, o início da pré-campanha eleitoral e a próxima visita de Tarso Genro ao município e região.

* Dia 13/03, no Hotel Everest, em Porto Alegre, acontecerá a plenária estadual da pré-candidatura do companheiro Júlio Quadros, que concorrerá a deputado estadual pelo Partido dos Trabalhadores.

* PT de Canoas (cidade onde atualmente resido), agora presidido pelo companheiro Rubens Pazzin, avança celeremente, reorganizando-se e preparando-se para dar mais uma contribuição importante para as eleições de outubro, tanto através da campanha dos candidatos proporcionais que o partido apresentará quanto das candidaturas majoritárias. Pazzin, que é advogado e sindicalista, também estava presente na plenária metropolitana do PT, acima relatada, e deu uma contribuição importante - e de qualidade - no debate lá ocorrido.

* Neste 8 de março, segunda-feira, comemora-se o ‘Dia Internacional das Mulheres’. A saudação do blogueiro a todas as companheiras de luta, na busca pelos seus direitos históricos – e pelo respeito que lhes é devido.

* A guerra midiática contra o PT e a candidatura da ministra Dilma está a todo vapor. Semana passada, em São Paulo, testas-de-ferro da mídia monopolista e golpista e lambe-botas direitistas e ex-esquerdistas reuniram-se (no chamado fórum Millenium) para traçar estratégias do combate, sem tréguas – e sem decência – que farão, ou melhor, que já estão fazendo para tentar evitar o inevitável: a vitória da candidata do presidente Lula nas próximas eleições e da continuidade do projeto vitorioso que está em andamento no país nos últimos 7 anos. Como bem definiu Emir Sader em seu blog: 'Viraram pobres diabos, que vagam pelos espaços que os Marinhos, os Civitas, os Frias, os Mesquitas lhes emprestam, para exibir seu passado de pecado, de devassidão moral, agora superado pela conduta de vigilantes escoteiros da direita.' Não tenham dúvida: a campanha eleitoral deste ano já começou... e vai ser das mais acirradas e pesadas da história.

* A propósito, o script deste final de semana da 'grande mídia' é o mesmo de sempre: um promotor de SP, com notórias vinculações ao PSDB e à José Serra, requenta uma denúncia que não se sustenta(Bancoop), a Veja faz uma matéria de capa e o resto do PiG se encarrega de alardear como verdade e fato consumado. Alvo: o PT e a candidatura da ministra Dilma. Falta criatividade mas sobra ... mau-caratismo e sacanagem.

* Em relação a esse e outros temas ligados à comunicação, recentemente fui convidado - e aceitei – para participar do setorial de comunicação do PT de Porto Alegre (cidade onde trabalho), juntamente com mais de uma dezena de blogueiros e representantes de jornais de bairro da capital . A nova direção do PT de Porto Alegre, através da liderança do Adeli, tirou como prioridade o tema comunicação e, em particular, a intervenção na blogosfera. Correta e oportunamente, diga-se de passagem. (Por Júlio Garcia, especial para ‘O Boqueirão)

**Crítica & Autocrítica - Coluna que mantenho (i)regularmente no Blog 'O Boqueirão'

'Novo jeito...'














*Charge do Kayser

07 março 2010

'Miséria moral'




A miséria moral de ex-esquerdistas

Emir Sader escreve:

Alguns sentem satisfação quando alguém que foi de esquerda salta o muro, muda de campo e se torna de direita – como se dissessem: “Eu sabia, você nunca me enganou”, etc., etc. Outros sentem tristeza, pelo triste espetáculo de quem joga fora, com os valores, sua própria dignidade – em troca de um emprego, de um reconhecimento, de um espaçozinho na televisão.

O certo é que nos acostumamos a que grande parte dos direitistas de hoje tenham sido de esquerda ontem. O caminho inverso é muito menos comum. A direita sabe recompensar os que aderem a seus ideais – e salários. A adesão à esquerda costuma ser pelo convencimento dos seus ideais.

O ex-esquerdista ataca com especial fúria a esquerda, como quem ataca a si mesmo, a seu próprio passado. Não apenas renega as idéias que nortearam – às vezes o melhor período da sua vida -, mas precisa mostrar, o tempo todo, à direita e a todos os seus poderes, que odeia de tal maneira a esquerda, que já nunca mais recairá naquele “veneno” que o tinha viciado. Que agora podem contar com ele, na primeira fila, para combater o que ele foi, com um empenho de quem “conheceu o monstro por dentro”, sabe seu efeito corrosivo e se mostra combatente extremista contra a esquerda.

Não discute as idéias que teve ou as que outros têm. Não basta. Senão seria tratar interpretações possíveis, às quais aderiu e já não adere. Não. Precisa chamar a atenção dos incautos sobre a dependência que geram a “dialética”, a “luta de classes”, a promessa de uma “sociedade de igualdade, sem classes e sem Estado”. Denunciar, denunciar qualquer indicio de que o vício pode voltar, que qualquer vacilação em relação a temas aparentemente ingênuos, banais, corriqueiros, como as políticas de cotas nas universidades, uma política habitacional, o apoio a um presidente legalmente eleito de um país, podem esconder o veneno da víbora do “socialismo”, do “totalitarismo”, do “stalinismo”.

Viraram pobres diabos, que vagam pelos espaços que os Marinhos, os Civitas, os Frias, os Mesquitas lhes emprestam, para exibir seu passado de pecado, de devassidão moral, agora superado pela conduta de vigilantes escoteiros da direita. A redação de jornais, revistas, rádios e televisões está cheia de ex-trotskistas, de ex-comunistas, de ex-socialistas, de ex-esquerdistas arrependidos, usufruindo de espaços e salários, mostrando reiteradamente seu arrependimento, em um espetáculo moral deprimente.

Aderem à direita com a fúria dos desesperados, dos que defendem teses mais que nunca superadas, derrotadas, e daí o desespero. Atacam o governo Lula, o PT, como se fossem a reencarnação do bolchevismo, descobrem em cada ação estatal o “totalitarismo”, em cada política social a “mão corruptora do Estado”, do “chavismo”, do “populismo”.

Vagam, de entrevista a artigo, de blog à mesa redonda, expiando seu passado, aderidos com o mesmo ímpeto que um dia tiveram para atacar o capitalismo, agora para defender a “democracia” contra os seus detratores. Escrevem livros de denúncia, com suposto tempero acadêmico, em editoras de direita, gritam aos quatro ventos que o “perigo comunista” – sem o qual não seriam nada – está vivo, escondido detrás do PAC, do Minha casa, minha vida, da Conferência Nacional de Comunicação, da Dilma – “uma vez terrorista, sempre terrorista”.

Merecem nosso desprezo, nem sequer nossa comiseração, porque sabem o que fazem – e os salários no fim do mês não nos deixam mentir, alimentam suas mentiras – e ganham com isso. Saíram das bibliotecas, das salas de aula, das manifestações e panfletagens, para espaços na mídia, para abraços da direita, de empresários, de próceres da ditadura.

Vagam como almas penadas em órgãos de imprensa que se esfarelam, que vivem seus últimos sopros de vida, com os quais serão enterrados, sem pena, nem glória, esquecidos como serviçais do poder, a que foram reduzidos por sua subserviência aos que crêem que ainda mandam e seguirão mandado no mundo contra o qual, um dia, se rebelaram e pelo que agora pagam rastejando junto ao que de pior possui uma elite decadente e em vésperas de ser derrotada por muito tempo. Morrerão com ela, destino que escolheram em troca de pequenas glórias efêmeras e de uns tostões furados pela sua miséria moral. O povo nem sabe que existiram, embora participe ativamente do seu enterro.

Fonte: Blog do Emir - Agência Carta Maior - http://www.cartamaior.com.br

05 março 2010

Furacão



Bob Dylan - Hurricane - 1975

'Te larguei, magrão!'

Editorial da Folha perde o ânimo com Serra














E classifica o governo Lula de "cesarismo"


Cristóvão Feil escreve:

O jornal paulistano Folha de S. Paulo é sabidamente um diário serrista, ou melhor, era serrista. Hoje, em editorial, o jornal da família Frias "derruba os braços", como se diz, com o tucano José Serra. Derruba os braços, desanima, desacorçoa, murcha, perde o ânimo. A Folha está dizendo à Serra: - Te larguei, magrão! E o faz em tom lamentoso e quase cético em relação a uma possível modificação deste quadro de apatia tucana, pelo menos até outubro próximo.

Do governador paulista, a Folha constata o seguinte: "Se grandes reservas de astúcia e de cautela são necessárias a um bom político, é também verdade que não há liderança concebível numa atitude de permanente aversão ao risco e à clareza de compromissos".

E acaba sobrando também para o presidente Lula: "Serra ou não Serra, Aécio ou não Aécio, os nomes perdem em importância; o que ressalta, acima de tudo, é o modo com que a vida política no Brasil parece distante dos padrões de uma democracia moderna. De um lado, surge uma candidata inventada pelo cesarismo presidencial [grifo DG]; de outro, ambições pessoais se desfazem em picuinhas e sussurros, sem nada de significativo a apresentar para a população".

As uvas estão verdes. Como o cenário eleitoral de 2010 se tolda cada vez mais para a direita - do qual a Folha é vanguarda - o parecer sobre o universo é pessimista: "a vida política no Brasil parece distante dos padrões de uma democracia moderna". O que é mesmo paradigma de "democracia moderna"? A gestão tucana de São Paulo? De Minas Gerais? Do Rio Grande do Sul? Ou seria "moderna" a gestão do meio-tucano-meio-Dem José Roberto Arruda no Distrito Federal?

Igual absurdo é chamar o governo Lula de "cesarismo". Cesarismo é sinônimo de despotismo, autocratismo e autoritarismo. Nem o mais empedernido reacionário da direita brasileira ou o mais isolado dos esquerdistas chamaria o presidente Lula de autocrático. Ele tem muitas falhas, a ideia fixa na conciliação como método político, joga com pau de dois bicos no subproletariado e no capital financeiro e seus aliados de classe, mas ninguém que não seja portador de má consciência pode classificar Lula de praticante de cesarismo.

A rigor, o que a Folha está querendo dizer, mas não tem coragem de pronunciar (e admitir de público) com todas as letras é o seguinte:

- Perderemos mais uma vez, tigrada!

*Fonte: 'Diário Gauche' - http://www.diariogauche.blogspot.com/

04 março 2010

Projeto polêmico





Estudantes da UFRGS denunciam reitoria por projeto de Parque Tecnológico

Porto Alegre/RS - Informa o Coletivo Catarse: Na tarde de ontem, quarta (03.3), os estudantes da UFRGS receberam o apoio da Via Campesina e de movimentos de trabalhadores da cidade para a mobilização que fazem contra a votação imediata do projeto Parque Tecnológico da universidade. O projeto está sendo tocado à revelia da discussão e participação dos alunos, professores e funcionários da UFRGS. O assunto interessa a toda sociedade, afinal, é do dinheiro público gerado pelo povo brasileiro que a universidade se mantém. E é justamente esse o nó da questão. Tal parque, do jeito que está sendo pensado, deve servir menos ao público (mesmo que a universidade seja pública) e mais ao interesse de empresas privadas. (...)

*Leia a matéria (na íntegra) clicando AQUI

03 março 2010

'Comoção ou duplo interesse?'

















Cuba, a mídia ocidental e o suicídio de Zapata Tamayo

*Por Salim Lamrani

No dia 23 de fevereiro de 2010 Orlando Zapata Tamayo, prisioneiro cubano, faleceu após uma greve de fome de 83 dias. Tinha 42 anos. Era a primeira vez desde 1972, quando morreu Pedro Luis Boitel, que um recluso morria em semelhantes condições. Os meios de comunicação ocidentais puseram em primeiro plano este trágico acontecimento e destacaram a triste sorte das pessoas encarceradas em Cuba.

O desaparecimento dramático de Zapata desatou uma comoção justificada por todo o mundo. O caso do prisioneiro cubano suscita inegavelmente certa simpatia e sentimento de solidariedade a uma pessoa que expressou seu desespero e mal-estar na cadeia, levando sua greve de fome até o fim. A emoção sincera que despertou este caso é de todo respeitável. Entretanto, a instrumentalização com fins políticos de seu falecimento e a dor da família e amigos, praticada pelos meios ocidentais, viola os princípios básicos da deontologia jornalística. (...)

*Leia, na íntegra, o artigo de Salim Lamrani clicando Aqui

Fonte: Correio da Cidadania

'Caso Eliseu'


















CASO ELISEU - ENTREVISTA COM MARCOS ROLIM

Entrevista realizada por Mirgon Kayser Júnior, do Blog do Mirgon

" (...) No caso de estarmos lidando como uma execução, o caso Sollus aparece – claro – como um tema importante. Não apenas pelos interesses envolvidos, mas por se tratar de escândalo recente. Lembremos que Eliseu havia prestado depoimento à PF na véspera. Não se pode dizer, entretanto, que o caso Sollus tenha maior probabilidade de estar na origem do assassinato, nem se deveria desprezar outras possibilidades. Para isso seria preciso conhecer melhor quem foi Eliseu Santos. Fomos deputados em um mesmo período e, embora nunca tenha tido uma relação próxima com Eliseu, lembro de ter ouvido dele, mais de uma vez, de que “prenderia o dedo” caso se encontrasse com um “vagabundo”. Sinceramente, Eliseu me parecia, desde aquela época, um sujeito capaz de “perder facilmente o contato com a torre”. Mais recentemente, fiquei sabendo que ele mantinha uma arma no porta-malas do seu carro, porque imaginava que assim teria chance de reagir caso fosse seqüestrado e colocado ali. Há alguns anos, Eliseu baleou um fotógrafo em uma discussão banal de trânsito em Porto Alegre e, por pouco não o matou. Isto evidencia um tipo de temperamento que o predispunha ao conflito, à ameaça, etc. algo, digamos, pouco evangélico. Óbvio que um sujeito assim faz muitos inimigos. Então, se confirmada a tese da execução, a polícia terá que lidar com muitas possibilidades, o que faz o caso mais difícil." (...)
*Leia a íntegra da entrevista com o ex-deputado Marcos Rolim, concedida ao Blog do Mirgon, clicando Aqui

Fonte: Blog do Mirgon - http://blogdomirgon.blogspot.com/

02 março 2010

Sobre a Eletronet/PNBL






O caso Eletronet: um ponto final

José Dirceu escreve:

Em respeito a todos vocês, leitores deste blog, e desde já agradecendo o apoio e também respondendo as questões aqui levantadas, publico abaixo uma síntese dos esclarecimentos que prestei ao longo da última semana sobre o caso Eletronet/Telebrás/PNBL. Meu objetivo é que não pairem dúvidas sobre este episódio e sobre as minhas atividades profissionais. A campanha eleitoral começou. Os ataques da mídia também. Outros virão, e temos que estar preparados. Dilma já encosta em Serra. Está, segundo os critérios do Datafolha, tecnicamente empatada com ele, pois o tucano tem 32%, e a petista, 28%, sendo que a margem de erro é de dois pontos percentuais, para mais ou para menos.

A eleição presidencial deste ano será a mais dura que o PT já enfrentou. Mas vamos superar as calúnias, vencer as eleições e continuar com os projetos do PT e do governo do presidente Lula... (...)

*Leia a matéria na íntegra, oriunda Blog do Zé Dirceu, clicando Aqui

*Edição deste blog

01 março 2010

Solidariedade ao Chile



*Depois de saber que a situação do Chile era pior do que tinha notícias, o presidente Lula, segundo informa o Blog do Planalto, resolveu alterar sua agenda e visitar o país nesta segunda-feira (1/3) para prestar pessoalmente sua solidariedade ao povo chileno e à presidente Michelle Bachelet.

"Já que estou há duas horas de Santiago (capital chilena), vou conversar pessoalmente com a presidenta, pois este é o momento da solidariedade. A primeira necessidade é descobrir se existem pessoas embaixo dos escombros e tentar encontrá-las e, depois, ajudar na reconstrução do país."

Lula conversou com jornalistas brasileiros e estrangeiros no aeroporto de Montevidéu (Uruguai), antes da partida para a capital chilena, onde se encontrará com a presidenta Michele Bachelet.

*Para ler mais sobre a visita ao Chile e ouvir a íntegra da entrevista concedida pelo presidente Lula em Montevidéu, clique Aqui